Sword Art Online: vivendo intensamente no mundo virtual ou no real

Imagem

Sword Art Online(ou simplesmente SAO como o chamam),Light Novel publicada por Reki Kuwabara em 2009 virou anime em 2012 pela A1 Pictures e se tornou um sucesso estrondoso não só com o público otaku como quem nunca se interessou por animes,introduziu novos fãs de tal gênero e ganhou vários prêmios por aí.No entanto este anime se tornou muito polêmico,pois ao mesmo tempo em que pessoas o adoram,outros o detestam e nem sabem o porquê tamanha popularidade.Li alguns reviews bem chocantes mas nunca me interessei pela obra por não me interessar pelo gênero MMORPG a temática da série.mas resolvi dar uma chance e assisti pra descobrir porquê tanto amor e ódio e quem sabe poderia perder a chance de ver um anime bom por causa das criticas(além de me preparar pra SAO II que ta vindo aí).Eu nunca li a LN e apesar de não gostar do gênero MMO,um amigo meu é fã do gênero e me ensinou tudo sobre ele,então farei um review tanto de um perfil de gamer como de analise do anime por si só e toda sua contextualização.Venho alertar que os spoilers são inevitáveis portanto leia por sua conta e risco.Então dito isto vamos lá.

Imagem

Conceito

Em 20022 o Virtual Massive Multiplayer online RPG chamado Sword Art Online é lançado.Ele se utiliza do Nerve Gear um capacete que de realidade virtual que estimula os cinco sentidos através do cérebro Full Drive.Ao entrar no jogo pela primeira vez todos os jogadores são presos ali.Seu criador Kayaba Akihiko removeu a capacidade de deslogarem,a possibilidade se ressucitar e os avatares dos personagens usando seus modelos reais.Kirito um beta Test no jogo agora precisa sobreviver nesse novo mundo onde a condição pra sair daí é atravessar 100 andares e concluir.essa trama todo mundo conhece.Vamos analisar a fundo as duas fases de SAO

Imagem

Aincraid-primeira fase

O primeiro episódio mostra Kirito(Kirigaya Kazuto) interagindo com outro jogador chamado Klein nesse mundo até a chamada de Kayaba Akihiko que explica a situação que assustou todos os jogadores ali presentes.A idéia de completarem o jogo e a possibilidade de morrer além de descobrir o motivo do criador do jogo ter feito isto deu a impressão errada que SAO seria uma trama enorme e épica cheia de conflitos e reviravoltas o que contribuiu para duras  críticas que se mostram um tanto duras e equivocadas pois não é esse o objetivo do autor.

Observando o anime percebe-se o contexto e a idéia por trás dele.Basicamente o autor traz todos os elementos comuns de um MMORPG e contextualiza-os na forma de um simulador de realidade virtual.Seja a procura de um item,caçada a chefes poderosos,lutas 1vs 1,fazer amizades, casamentos tudo isso é mostrado nesses capítulos de SAO(talvez ele seja ou tenha sido um jogador desse estilo de jogo pois ele capta tal essência direitinho.Afinal o que aconteceria se trouxéssemos pra realidade todas essas características,afinal eles não são simples avatares,são pessoas que sentem, vivenciam e experienciam tudo aquilo.O mundo simulado é tão perfeito quanto o nosso então a situação é diferente.Isso criou uma atmosfera única e interessante a SAO que mostra sem forçar a barra a interação de Kirito e vários personagens desse mundo.Amizades e amores se tornam mais marcantes,lutas se tornam mais drásticas e tensas.A morte já não é um elemento fugaz,ela significa a perda de pessoas importantes que você interagiu,ser líder implica arcar com as conseqüências e isso tona SAO mais que um simples jogo de MMORPG,trata-se da vida e o valor das mesmas de todos daquele  mundo.E visto por este prisma, o anime incorpora múltiplos gêneros em seu âmago,seja um romance,slice of life ou mistério dependendo do tipo de assunto característico abordado dentro daquele mundo(ajudar uma garota a buscar um item importante implica uma situação mais romântica,o caso da morte de vários jogadores em um capítulo implica em mistério e assim por diante).E SAO é sentimental,ele mostra de forma bem simples e direta todas essas relações de Kirito e outros personagens.Ele se une a um grupo mas acaba vendo a morte de várias pessoas lideradas por um Beta Test como ele.Pra evitar uma perseguição e eventual culpa nesses jogadores ele decide sair do grupo para protegê-los.Depois de salvar a vida de uma garota membro de um pequena Party e ver como são unidos e se divertem juntos,Kirito decidiu novamente se unir a eles, ocultando seu nível superior(isso provem daquele sentimento do jogador experiente que já passou por toda a situação de ser novato e desconhecer cada aspecto do jogo e ajudar alguém na mesma situação).No entanto o fato de ocultar seu nível o faz pagar caro pois a vida de todos acabou se esvaindo diante de seus olhos durante a exploração de uma dungeon.Ver a garota que só queria ir pra casa e tinha medo de morrer foi um momento melancólico que te deixa muito tocado.Após isso Kirito muda o seu jeito de ser.Ele começa a aproveitar a vida da melhor forma que pode mesmo nessa situação adversa que se encontra(preso dento do jogo).Asuna,uma garota forte e determinada a voltar ao mundo real vê esse lado do rapaz e muda seu modo de pensar.Os dois se apaixonam e passam a não apenas estarem dispostos a voltar a realidade, como aproveitar cada momento lá.Tem momentos difíceis ao lidar com um jogador assassino infiltrado no grupo e Kirito passa a querer não morrer e proteger Asuna de qualquer perigo.Eles se casam,arrumam uma simpática “filha”e sua relação se estreita até descobrirem o verdadeiro propósito do criador de jogo e conseguirem terminar.A vontade humana foi maior e Kirito sobrepôs as próprias leis daquele jogo pra salvar Asuna.Assim termina a primeira parte

Imagem

Alfheim -segunda parte

Obviamente com o sucesso o autor se sentiu motivado a continuar.a temática precisa ser a mesma o que pode despontar alguns pois podem achar essa história de sempre ter um jogo virtual envolto em problemas pode se tornar algo trivial demais e repetitivo.mas tudo depende de como o autor contextualiza tudo isso e ele não deixa a peteca cair,e mesmo com um novo jogo virtual como tema ele não exita em sair do lugar comum sem perder a característica que tornou SAO tão famoso

Muitos jogadores de SAO retornaram mas outros permanecem presos ao Nervegear incluindo a Asuna.Kirito retorna ao lado de sua meio-irmã Suguha e de sua mãe adotiva mas seu coração ainda pesa pela situação de sua amada.É descoberto que a empresa do pai da garota pegou os servidores que restaram do grupo que entrou em falência devido a prestação de contas pelos problemas ocorridos e montou um grupo que a mantêm viva liderados pelo noivo da garota,o chefe de tecnologia da empresa Sugou Noboyuki.Ele já mostra que não é flor que se cheire ao provocar Kirito sabendo de seu amor pela menina que vai se casar com ele assim que acordar.No entanto Kirito descobre que sua ainda está presa em outro jogo virtual o Alfheim Online(ou ALO) e parte para o resgate.Mesmo mantendo parte dos atributos de SAO por um bug(por compartilhar dos mesmos servidores e engine),ele tem que reaprender  como funciona aquele mundo.Com ajuda de Leafa uma jogadora (na verdade sua irmã),ele vai aprendendo como tudo funciona com sua perspicácia e eficiência.Note que desta vez não temos mais a possibilidade de morte definitiva e a impossibilidade de fazer logout no jogo.O autor não quis se repetir com essa segunda parte oferecendo variedade a experiência.Poucos episódios depois descobrimos que o noivo de Asuna Sugou é o autor deste jogo e seu real objetivo é descobrir um modo de controlar o cérebro das pessoas,por isso raptou alguns jogadores pra servir de cobaia e com os resultados completos,vender a tecnologia a estrangeiros(e também brincar de Deus bem como ter o controle sobre Asuna)

E controle parece ser o tema desta segunda parte pois tudo é relacionado a este,desde jogadores eu usam e controlam outros pra atingir eus objetivos,o controle dos sentimentos de Suguha pelo seu irmão,sua paixão proibida,e o controle de Sugou sobre Asuna querendo tomar a garota a força e permitir que as pessoas sejam controladas com sua pesquisa.E Kirito com tudo que viveu em SAO,vai mostrando o contrapondo dessa idéia,pois ele ajuda Leafa e outros jogadores sem se importar em controlar ou usar alguém pra cumprir seus objetivos,mesmo se tratando de alguém tão importante pra ele e isso vai tocando Leafa e outros que passaram a compartilhar seu ponto de vista e o ajudarem a cumprir seu objetivo..Depois de uma linda e épica cena na sala final,Kirito tem ajuda até mesmo do que restou do falecido Kayaba Akihiko,que quer passar adiante seu sonho de um mundo online vivaz e marcante aqueles que o adentrarem.

Imagem

E tudo isso fica ainda mais marcante com as composições desse monstro de compositora que é Yuki Kajiura do qual sou fã desde a época de Xenosaga episodio II (nos movies em CG) esubstituindo o conceituado Yasunori Mitsuda e sendo responsável por todas ela no episódio III merecidamente por seu imenso talento.Mesmo sendo bem discreta comparada a Fate 0 e Madoka outras contribuições da compositora, a música empolga especialmente a maravilhosa música de batalha que supera até a de muitos RPGs como FFXII

As poucas lutas de SAO são empolgantes especialmente as lutas contra chefes de fase com excelente animação.Os visuais dos cenários são lindos(especialmnte aquele do final da série onde Kirito e Asuna encontram Kayaba),e dá mesmo vontade de repousar naquele campo assim como Kirito e Asuna fizeram.

Imagem

Personalidades marcante e sem exageros

Uma outra coisa que me chamou a atenção em SÃO foi o fator realista de seus personagens.Não esperem personagens extremamente heróicos,passados repletos de traumas e reviravoltas ou vilões cheios de idéias revolucionárias para o mundo.Todos são bem críveis e possuem algo simples e até as coisas mais complexas são algo comum a nossa realidade como a paixão proibida e o drama de Suguha.Mesmo os vilões não possuem nada fora da realidade,desde o complicado Kayaba Akihiko e sua busca pelo mundo virtual perfeito transcendendo nossas leis até o inescrupuloso e pisicopata Sugou e sua ambição de brincar de Deus.SAO sai do lugar comum até das obras mais realistas que sempre jogam um drama imenso em seus interiores.Essa simplicidade de forma alguma é um ponto negativo,pelo contrário,faz o anime sair do lugar comum e traz novas experiências diferentes até de slice-of-life por aí.

E não adianta reclamar de Kirito e sua habilidade fora do comum e sua capacidade de fazer várias garotas se apaixonarem por ele,tudo é natural e coerente com a proposta.O cara esbanja carisma além de ser muito inteligente e perspicaz.Ele é aquele jogador viciado daqueles que conseguem em pouco tempo aprender a a jogar com extrema eficiência tal qual no mundo real e cansei de ver pessoas assim.Obviamente não presenciamos sua evolução até porquê seria maçante vermos o protagonista progredir lentamente como nos MMOs então temos o ótimo recurso de timeskip e a idéia de que ele é um ótimo jogador inda sim é bastante clara e facilmente entendida.

E convenhamos que aqui não é um mangá shonen onde o protagonista pé obrigado a evoluir seus poderes passo-a passo a cada oponente forte,isto ainda tem a fórmula do jogo em si.Ele também costuma ser meio sem noção quando quebrou a melhor espada criada por uma ferreira testando o corte dela sem mais nem menos.Sua interação com Asuna rende os melhores momentos do anime pois o casal é um dos que tem a melhor química e carisma que já vi.É muito bom vê-los juntos e você acaba se importando com eles.E não é como nos romances em que demora séculos pra acontecer.Acontece de forma natural e espontânea sem deixar de lado a timidez típica dos nipônicos.Quanto as minas que se apaixonam por ele (cuja critica acusaria de fanservice ou até machismo como vi em comentários exaltados) não é como nas comédias românticas onde o protagonista atrapalhado mais gentil acaba conquistando o coração de todas ao seu redor,é muito natural e te convence quando você analisa a fundo.Mesmo personagens coadjuvantes tem uma personalidade bacana como Klein,Rika ou mesmo a simpática Yui são muito carismáticos.E o mais importante:o crescimento deles ao experimentar aquele mundo.Kirito que queria ser um jogador solo mas que não conseguia não só pelas limitações desse sistema como pelo seu apego as pessoas.Ele aprende a valorizar a vida mesmo no mundo virtual.no final da série todas as pessoas que interagiu viraram grandes amigos no mundo real e que agregaram esse sentimento ao reviver os MMOs fazendo-os evoluir além a ponto de compartilharem avatares entre si virando uma experiência ainda mais massiva.E MMO é isso,é interagir com as pessoas,jogarem juntos e formar amizades além de se divertirem juntos e em equipe.Desse modo SAO poderia terminar com chave de ouro mas sabemos que o sucesso vai fazer a história continuar por bastante tempo ainda

Imagem

Polêmicas?

Lendo reviews me deparei com duas situações que chamaram atenção.li que SAO tinha cenas de estupro e incesto o que me deixaram bastante surpreso.Ao ver tias cenas me deparei com o exagero costumeiro de aversão a um gênero comum na internet: o ecchi.E bastou uma alusão pequena a isso pra causar burburinho.A cena ocorreu quando Asuna encontra a sala com os jogadores vítimas da experiências de Sugou.Os guardiães do local eram dois monstros com tentáculos.Não se sabe se são jogadores contratados por Sugou usando avatares ou se são seres com uma IA quase humana mas um deles se interessou e tentou se aproveitar de Asuna enrolando seu tentáculos pelo corpo dela e rapidamente repelido a uma mordida da garota.Simples assim.Nada que vai chocar criancinhas,nada de estupro ou algo que no mínimo causaria alguma excitação no otaku mais pervertido que existe.Nada que sequer incomode alguém.Sobre o incesto é completamente sem fundamento.Observamos aqui foi o sentimento sincero e o drama de Suguha que ama seu irmão(pois não possuem laços de sangue),uma relação proibida que a garota tenta evitar,tentando inclusive esquecer com Kirito sem saber que se trata da mesma pessoa.Inclusive eu gosto muito da personagem mesmo preferindo a Asuna.

Ou seja, tudo não possui fundamento

Imagem

Conclusão

Por mais que eu procure não consigo encontrar falhas em SAO.nada parece fora do lugar,tudo parece bem executado e de acordo com a proposta do seu autor.E mesmo aquilo que pareça deslocado (como os monstros guardiães) não prejudicam a série.Claro,quem espera que o anime fosse um Fate 0 vai se decepcionar e ele pode se tornar mais amigável com quem é jogador ou quem entender a proposta apresentada.Ele possui muitos gêneros entre eles o romance que atrai muitas pessoas especialmente o público feminino que ama ver casais interagindo(os famosos shipers).

Suas qualidades únicas realmente merecem a fama que recebe e os prêmios que ganha mesmo não sendo o melhor anime daquele ano.

SAO conseguiu me cativar a ponto de nem perceber o tempo passar,e que não quer que o episódio acabe nunca.E isso porquê não sou um fã de MMO.E isso o tornou um dos meu favoritos.

E viva intensamente.Seja no mundo real ou virtual.

Anúncios

4 respostas em “Sword Art Online: vivendo intensamente no mundo virtual ou no real

  1. Que post top, Franco! Gostei bastante de tudo que foi escrito, me passou a impressão que a obra realmente conseguiu te atingir de todas as maneiras possíveis, seja o embasamento da história ou até mesmo a interação das personagens.

    Lembro que li um comentário falando que a morte da Sachi não foi marcante, muito menos emocionante e fiquei feliz porque no post você deixa claro que concorda comigo, foi tocante sim e bem no episódio 3, logo no começo pra te dar um mega tapa na cara do tipo “Aqui é só um jogo mesmo? Pessoas estão morrendo e não é uma questão de logar ou deslogar.” Ver o Kirito desesperado buscando ressuscitá-la e falhando em seu objetivo foi outro ponto tocante no início da obra o fazendo ser um lobo solitário até aparecer uma garota carismática que confortou seu coração. Ainda sobre a primeira parte de SAO, gostaria de saber o que achou do final, porque eu achei rápido demais e até diria meio sem noção aquela batalha final e o rumo que aquilo tomou ^^ DO NADA tem um ovo salvador, vamos nos encontrar no mundo real pra viver este amor pra sempre e é isso aí! Todo mundo critica ALO, mas eu gosto mais que SAO pra falar a verdade, é aquela típica história “vamos salvar a princesa” que tem início, meio e fim com inserção de personagens interessantes como a fofa Suguha *-* Na questão mais polêmica sobre estupro e talz, eu acho que há coisas bem piores dento do universo da animação japonesa, mas dá pra discutir só que não da forma como normalmente são falando que isso é um absurdo ter no contexto da história, aí já acho demais, mas é discutível. De qualquer forma, meus surtos:
    – KAJIURA MITANDO MAIS UMA VEZ COM UMA TRILHA SONORA ÉPICA! NO EPISÓDIO 22 OU 23 EU SURTEI MUITO COM O KIRITO E A LEEFA LUTANDO NA TORRE E AQUELAS MÚSICAS TOCANDO, MEU DEUS!HFJDSHFKDSFJSDGKFDSHFKJDSHFJKD
    – Openings míticas! *-*
    – Animação sensacional, as cenas com dual blade então uoooooooooooooooooooooooou!
    – KIRISUNA É MUITO AMOR ❤

    😉

    • Oi Nany bom te ver por aqui de novo.
      Então eu achei interessante pois Kirito tava numa situação difícil encarando um GM então nada melhor que o próprio criador do jogo intervir pessoalmente.Ele ainda deixou seu sonho pra posteridade o que fez com que todos os MMOs se unificassem de forma mais massiva(imagine tu compartilhar personagens de um game pra outro?)
      Acho que não importa se a luta é longa ou curta o mais importante é o contexto por trás dela(vide Komamura vs Bambietta) e acho que SAO se saiu muito bem neste aspecto

  2. Análise incrível cara,muito bom,eu amei o anime,eu tive os mesmo surtos que a /\/\ Nany-chan /\/\ teve,e você derrubou todos os argumentos contra o anime,tá de parabéns,vou começar a acompanhar o site,e que venha a próxima temporada iuupi.Eu sinto que tenho que falar mais alguma coisa,mas qualquer coisa eu venho aqui,continue com o site mano,ele é ótimo!

    • Muito obrigado,eu aprecio o apoio.Sempre é bom ter uma visao diferente sobre algo(e este o permitir),geralmente analises de animes e jogos sao sempre engessadas graças a esses padroes pre estabelecidos(visual,animaçao,plot),eu que detesto esses padroes tento analisar de uma forma diferente tentando entender qual o o bjetivo do criador com a obra.O pior e que com SAO Progressive surgiram comentarios que o autor agora esta fazendo melhor do que ele fez contando tudo detalhadamente igual todo mundo queria,nem sei se ele queria derrubar as criticas,se era exigencia da editora ou se estava tentando provar algo,o que é uma pena,dificil ser autor de manga assim ^^
      Sobre o blog vou tentar levar preguiçosamente mas vou tentar falar sobre mais coisas legais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s