Fairy Tail e o protagonismo:Existe ou é ilusão dos leitores mais radicais?

Imagem

Nos fóruns aqui do Brasil um assunto que ta dando o que falar é em relação ao protagonismo exagerado do mangá FT que faz com que os otakus mais radicais repudiem o mangá,tachando seu autor como alguém que não sabe fazer mangas ou que faz o leitor de burro segundo alguns comentários que li de alguns que se dizem “entendidos” de shonem mangá.Mas o que é o protagonismo afinal?

Bom de acordo com alguns otakus,protagonismo seria a forma que o autor faz para que o protagonista do mangá consiga vencer uma luta impossível de maneira forçada que fere a lógica que ele criou para o mangá só por ser o personagem principal.Você já deve ter visto inúmeras vezes em Saint Seiya os protagonistas apanharem feio para os vilões e de uma hora pra outra rolar aquele momento dramático onde ele esbraveja palavras de força de vontade e aí obtêm uma vitória milagrosa sem uma explicação plausível pra isso.

Bom eu devo dizer na minha intensa pesquisa sobre como funciona um mangá e o mercado que gira em torno dele que o protagonismo é uma mera ilusão da cabeça dos mais radicais.O que chamam de protagonismo não é nada mais nada menos que simplesmente um CLICHÊ que o autor usa e que é estabelecido na indústria de mangas shonen.

A indústria e público alvo

Fairy-Tail-Logo-fairy-tail-9928326-1440-900

Quando um autor vai trabalhar numa editora como a Jump ou a Magazine não pensem que ele tem toda a liberdade do mundo pra criar o mangá e a história que quiser.Existem regras e políticas editorias que o autor precisa seguir.Ele manda um name pro editor escolhido pela revista,ele analisa se o mangá está dentro do padrão da revista e manda o autor consertar o que é inadequado dando dicas pra ele que aí sim cria a história livremente.mangás shonem são como a indústria musical.Existe um público alvo que a editora precisa conquistar,dando a esse público o que ele mais gosta,o que ele mais quer.Pra isso eles utilizam de fórmulas que se adaptam ao gosto do leitor e que faz o mangá vender e que se repetem nos títulos seguintes,afinal,se está vendendo vou continuar com o mesmo padrão pra vender mais.No caso da Shonem Jump através de uma pesquisa feita nos anos 70 ela conseguiu encontrar a fórmula de fazer mangas.Ela perguntou a seus leitores qual era a coisa que eles mais gostam,o que aqueceriam mais os seus corações.Amizade,perseverança e vitória.Foram essas 3 frases que determinaram o sucesso da editora e de seus mangas.Esse estilo foi copiado por outras editoras que seguem um padrão similar.E na Magazine não é diferente.

Perfil do leitor japonês

Imagem

Mangás shounem tem como público alvo pessoas do sexo masculino com idade que varia dos 8 aos 15 anos.Então nós podemos analisar bem:o que o leitor japonês gosta de ver?Simples: ele quer ver uma história em que seu herói favorito consegue vencer uma luta contra um inimigo poderoso com sua força de vontade e a confiança de seus amigos que o apóiam.Pro jovem japonês não há nada melhor que isso.Ele já desde cedo sofre pressãode uma sociedade rígida,onde até mesmo é preciso de provas de admissão só pra entrar no colegial.Podemos fazer uma analogia de um herói que luta contra um inimigo poderoso como a pressão dos estudos.Seu inimigo é a prova de admissão.Suas técnica de luta é seu conhecimento através do treino,ou seja estudos,e sua força de vontade que faz agüentar noites acordado e a pressão nas costas.Ou seja o jovem japonês se identifica muito com isso,pois se assemelha ao seu estilo de vida.

Mangas e mangas

Imagem

Mas aí você se pergunta?Como a Hiromu Arakawa consegue fazer um mangá tão incrível e coerente como FMA?Por quê Naruto e HunterxHunter tem tanta explicação e estratégia das lutas e FT só tem o poder dos sentimentos resolvendo a situação?
Simples.No caso de FMA ele é produzido numa editora muito mais flexível que a própria Jump,dando mais liberdade criativa a seus autores sem se prender a fórmulas obrigatória pré-estabelecidas.Assim fica muito mais fácil trabalhar lá.
Quanto a Naruto,mesmo com toda a explicação se olharmos bem os mesmos clichês da Jump ainda estão lá,disfarçados.Naruto contra Gaara,manifestou um chacra enorme que deixou o Sasuke assustado e a explicação dada foi que a vontade de proteger seus amigos originou essa força absurda dele.Para os autores de hoje criar métodos pra driblar os clichês e tornar um mangá inovador é um grande desafio para seus autores.Alguns artistas conseguem subverter as regras da Jump e oferecer algo diferencial.Desde que Togashi brigou com a Jump por querer esticar Yuyu Hakusho por conta do sucesso e vendas,a Jump fez um contrato mais maleável com o autor que tem mais liberdade pra não seguir tão a risca as regras da revista.Romancistas renomados como Nisio Isin e Tsugumi Oba(ninguém sabe quem ele é mais muitos acreditam ser um romancista,perceba o estilo de diálogos de Death Note) também possuem essas “regalias”,mas ainda sim os clichês ainda existem (mesmo com tanta estratégia,vemos um garoto de 12 anos como Gon derrotar um cara experiente como Gensuru numa luta)

E Fairy tail nessa história?

fairy-tail-wallpaper-hd

Percebo em FT um estilo clássico de mangá shonem muito parecido com mangá dos anos 80 como Dragon Ball de quem Mashima é fã e se inspira pra criar suas obras.
Suas trama é bem simples e as lutas não tem muita estratégia ou grandes explicações,ou seja é um shonem de raiz.Seus combates remetem muito ao estilo Dragon Ball Z de ser doque um Naruto ou Hunter x Hunter e suas explicações complexas.
Uma coisa que o leitor radical não percebe é que o Mashima insere clichês de forma simples no seu mangá.Não existe uma lógica que o autor contrariou.Durante o mangá existem várias pistas que os sentimentos podem ser convertidos em poder mágico.
No volume 3 Erigor vê Natsu com chamas intensas e diz que aquelas são chamas dos sentimentos uma magia antiga poderosa e perdida.Mavis quando salvou a FT, converteu os sentimentos da guilda em poder mágico para usar a Fairy Sphere.Quando Lucy treina para aumentar seu poder mágico para o torneio Daimatou Embu,Caprico diz que a magia é controlada pela força de vontade.Lucy então se lembra que sua mãe disse que a verdadeira magia era obtida pelo poder do amor.
Fora que assim como o Ichigo,Natsu possui muitos segredos quanto a seu poder oculto,pois ele faz coisas inacreditáveis várias vezes.Zeref disse uma vez que Natsu ainda não estava “pronto” para matá-lo
Eu li um post interessante de um leitor que comparou Fairy Tail a fairy tale(contos de fadas) onde o mangá seria estruturado como um verdadeiro conto de fadas onde a magia rege e permite que ocorram os milagres.FT tem sempre um arco fechado com a guilda como centro, onde o protagonista(no caso a guilda) tem que vencer sempre contando com o poder da magia e dos sentimentos.
Ou seja o Mashima não é mau autor(até porquê suas tramas são bem envolventes) e não está enganando ninguém,pelo contrário ele está é usando bem os clichês da industria de mangas dando ao público o que ele mais gosta e ele não está errado por fazer isso.Isso é coisa de leitor que pensa que mangas shonem ainda são coisa pra adultos que precisam ter uma lógica realista em tudo e não percebem que aquilo não é feito pra você que já passou da idade do perfil do público alvo.Lembrem-se que o público alvo são os ADOLESCENTES que adoram esse tipo de coisa(claro que adultos também podem gostar afinal cada um é cada um)
E se você só liga pra lutas ou pra quem é mais forte que quem então você não é adulto de verdade,tem que olhar as coisas com mais maturidade e profundidade pra entender melhor,tem que perceber que mangas shonem são entretenimento,eles tem esse poder de cativar o público,criam fandoms que amam a série, não são feitos pra ser obras de arte num museum,mas sim pra divertir e encantar leitores(e com o capitalismo envolvido nisso).Reclamar se um personagem perdeu rápido demais,foi “jogado no lixo” pelo autor ou seja o que for é besteira sem tamanho.Em Yuyu Hakusho muitas lutas,não só contra os “buchas de canhão”,quanto os personagens importantes eram decididas rapidamente e sem cerimônia (Hiei contra Seiryu e contra Zeru) e todo mundo curtia.Sem falar na questão da estrutura de storyline.Não é legal ver  lutas até o amanhecer o tempo todo
Tinha gente revoltada que dizia que FT era feito pra criancinhas de 10 anos,mas e as piadinhas de OP foram feitas pra que tipo de público?Tanto quanto as partes sérias,mais voltadas pra um perfil mais maduro.E com isso Oda atraiu um monte de perfis de leitores que contribuiu pra enorme popularidade da série.

Masashi Kishimoto foi bastante influenciado por Akira tanto quanto Dragon Ball.Resolveu então amadurecer a série nesta segunda fase.percebe-se que mesmo a fase clássica mesmo sendo um shounem com pegada mais Dragon Ball sempre tinha um lado seinem na complexidade das tramas dos arcos e profundidade dos mesmos.Agora ele deixou transparecer o lado mais seinem da obra,com uma trama mais séria e densa,ainda mais complexa,mesmo correndo riscos de perder perfis de público.Isso varia de cada autor

Percebe-se que as editoras hoje parecem mais flexíveis com os autores.Tanto que até mesmo mangas diferentes como Enigma e Magi são publicados hoje(talvez influência de sucessos menos ortodoxos das concorrentes como FMA).Mas os clichês vão permanecer sempre,por isso sempre vão se assemelhar aos sucessos do passado.
Dá pra curtir FT só pelos personagens de carisma e sua trama envolvente,sem só ficar olhando pra lutas e poderes tranquilamente.É claro que se houver uma forçação de barra incrivelmente cabulosa aí sim temos o direito de não gostar(como a luta de Natsu contra Zacrow que não engoli até hoje).E acredite: as lutas de FT são uma maravilha perto de alguns mangás que já vi onde um sujeito é desidratado pela forte luz de um refletor e usa o sal do suor como um projétil para destruir as luminárias.
Quem compra os volumes de FT percebe que Mashima realmente adora fazer mangas shonem,está sempre disposto a conversar e agradar o público,ele sempre arruma um tempinho disponível na maçante jornada de mangaká pra fazer desenhos pros seus seguidores no Twitter,quando ele erra ele fala que erra mesmo,ele se zoa,ele trolla a si mesmo nos free talks e é super gente boa,ele se preocupa muito com a história,mesmo admitindo que improvisa muito e sempre muda as coisas quando ele acha melhor pra história
Pode se perceber que se Mashima trabalhasse pra Young Jump,Young Animal ou uma Afternooon seus mangas teriam um estilo bem diferente.O autor não é burro senão nenhuma editora contrataria ele.E preguiçoso também não é já que ele já fez dois mangas simultâneos e raramente tira folgas semanais.
O que faz um mangá bom ou ruim é a forma como a história é conduzida,se seus protagonistas são bem feitos( e se não houver bizarrices como um velho que engravida 99 mulheres e manda todos os seus filhos pra uma missão com risco de morte pra salvar o mundo como um certo mangá).Se o autor não souber usar os clichês,ou criar uma boa história que atraia o público ele corre o risco de passar maus bocados como o autor de Hungry Jocker que passa por poucas e boas na Jump sempre nos últimos lugares do ranking de popularidade da revista e lutando pra evitar o cancelamento do mangá

A seguir algumas páginas de capítulos de FT que mostram como Mashima insere os clichês na série:

fairy_tail019-10

fairy_tail019-11

fairy_tail255-16

fairy_tail261-09fairy_tail261-11fairy_tail261-12

Conclusão

Fairy Tail não é o melhor shounem que existe,e nem tem as melhores lutas,mas é sim um mangá de qualidade,divertido que tem milhões de fãs e vende bastante chegando a carregar sozinho a Magazine nas costas.Mangás como ele possui fórmulas pré-estabelecidas pela indústria que vão ser utilizadas a esmo enquanto o público gostar disso

Anúncios

8 respostas em “Fairy Tail e o protagonismo:Existe ou é ilusão dos leitores mais radicais?

  1. Oi Franco!
    Gostei muito da sua análise quanto ao protagonismo de Fairy Tail, eu sempre costumo dizer no twitter que de longe Fairy Tail não é meu mangá preferido exatamente por isso, em alguns momentos, faz a história cair na minha concepção. Mas lendo sua análise, pude ter uma visão bem diferente em relação a isso, não deixo o mangá como um dos meus preferidos, apesar de que teve momentos em que eu realmente gostei da história, e ainda gosto, mas dá para entender melhor como é e porque é.
    Tudo realmente vem do ponto de vista da pessoa. E observando sua análise mais uma vez pude fazer a mesma ligação que não tinha feito, o autor REALMENTE está o tempo inteiro apontando pela força dos sentimentos.
    Enfim, muito bom.
    Bjsss da Andy :D”

    • Oi Andy que bom que gostou.Já vi pessoas em fóruns questionando a qualidade de FT,incomodadas pelo fato do mangá ser um campeão de vendas com uma qualidade ruím na visão deles,eles hateiam o mangá e dizem com sua visão limitada de entendedores que possuem uma visão critica e sensata sobre o mesmo sem nem pesquisar a fundo.
      No fundo querem mudar a opnião das pessoas que elogiam o mangá dizendo que eessas pessoas estão cegas,mas isso é por pura vaidade
      Conhecer é sempre uma forma de entender o porquê de algo,pesquisar o assunto antes de qualquer opnião

  2. Oia eu aqui de novo, Franco lol

    Gostei do texto bem estruturado e você falou tudo! Só porque é um mangá iniciado em 2006 que Fairy Tail sofre com este preconceito, em minha opinião, pois hoje todos os leitores estão mais exigentes visto que já leram diversos mangás e buscam por coisas diferentes, algo que Fairy Tail não tem, não é inovador, mas é EXTREMAMENTE envolvente. O storyboard de Saint Seiya é bem pior e ninguém fala nada, por quê? Só porque fez a infância de muitos feliz, mas e se colocar os sentimentos de lado e analisar, acho Fairy Tail superior a este clássico.

    Eu gosto de FT exatamente porque remete muito aos clássicos shonen, adoro clichês e sou fã do Mashima, mas isto é apenas uma opinião. ^^

    Enfim, fico feliz que você voltou ao blog, Franco! Saudades das matérias!

    • Pois é apesar de que até mesmo Saint Seiya e Dragon Ball são duramente criticados(o primeiro com certa razão) ou seja ninguém está livre das críticas impiedosas
      É claro que essa justificativa não inviabiliza a possibilidade de haver mangás bons e ruíns,tem muitos deles por aí,e até fazem sucesso.
      Esse exemplo serve também pra outras mídias como música e cinema,eless sempre se repetem pra atrair o público
      E Ft é muito bom tanto que estou relendo tudo de novo desde o ínicio ^^

  3. Protagonismo todo ‘shounen’ tem mas esse anime pelo visto( To no episódio 10 e estava procurando motivos para continuar, n achei :|) tem muito exagerado( To no episódio 10 e estava procurando motivos para continuar, n achei :|) . Tipo o anime inteiro focado apenas nisso, a fonte do poder dele é amor, amizade…. ;protagonismo com uma explicação super protagonizada. Mas é o estilo do anime, enfim não gostei muito.(assim como bleach, parei no 75, vou procurar motivos para continuar.) Não gosto que o anime tenha só isso toda hora.

    • não nego isso,mas FT ele é baseado na raíz do Shonem Mangá e o autor tá deixando muito claro que os sentimentos humanos são o verdadeiro poder da magia,ou seja não é incoerente,mas também não é algo tão ruím como colocam

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s