Análise profunda: Neon Genesis Evangelion: A fera que gritou “eu” no coração do mundo

Imagem

Evangelion sem dúvida é a melhor obra da animação japonesa e do mangá.É até difícil pra mim fazer uma matéria desta obra complexa.por isso pesquisei bastante os pormenores desta obra magnífica e vou montar uma análise com tudo que descobri sobre a série e minhas próprias impressões sobre a mesma nesta minha homenagem a melhor série de todos os tempos e que não vai ter outra igual a esta.Muitas parte contidas nesta foram tiradas de análises sobre a série na internet(Eva Wiki e Eva Geeks).Mas atenção: esta matéria é somente pra quem conhece Eva e por isso contém Spoilers.

O anime

Imagem
Néon Gênesis Evangelion estreou em outubro de 1995 e marcou a animação japonesa pra sempre. Fruto da mente de Hideaki Anno que escreveu o roteiro,criou os personagens(junto do character design Yoshiyuki Sadamoto) e dirigiu a série.Após passar 4 anos em reclusão com forte depressão.Anno retornou e nos trouxe Evangelion.A série possui várias características.Ele é uma grande homenagem as séries antigas e clássicas como Yamato possuindo vários chavões e diálogos tirados deste,elementos da cultura pop(temos fanservice,robôs,termos científicos,garotas sensuais) e ao mesmo tempo conceitos revolucionários nunca antes vistos em qualquer série do gênero e também das experiências de Anno com seu tratamento contra a depressão com o estudo de análises pisicoanalíticas e introjeição tiradas da psicoterapia. Evangelion tem sido tomada como uma expressão profundamente pessoal das lutas de Hideaki Anno. Desde o início a série invoca muitos temas psicológicos. Frases usadas em episódios, os respectivos títulos e os nomes da música de fundo, com freqüência derivam de obras de Sigmund Freud, além de, talvez, algumas influências Lacanianas em geral. Exemplos incluem “Thanatos (ou Tânatos)”, “Estagio oral”, “Ansiedade de Separação” (ou “Transtorno de ansiedade de separação”), e “A mãe é a Primeira Outra” (a mãe como o primeiro objeto de amor de uma criança recém-nascida é a base do complexo de Édipo). Até mesmo o cenário e os edifícios em Tokyo-3 parecem muitas vezes carregados de importação psicológica, mesmo no primeiro episódio.
A conexão entre os Evas e seus pilotos, assim como o objetivo final do Projeto de Instrumentalidade Humana, tem uma forte semelhança com as teorias de Freud sobre o conflito interno e de comunicação interpessoal.

O dilema do ouriço é um conceito descrito pelo filósofo Arthur Schopenhauer e, posteriormente, adotado por Freud. É mencionado no episódio 04 por Misato Katsuragi como descrição de seu relacionamento com Shinji.

O simbolismo mais destacado na série é inspirado em origens judaico-cristãs e freqüentemente usa a iconografia e os temas do judaísmo, do cristianismo, do gnosticismo, e cabalismo, nas análises das concepções religiosas e temas da série. O diretor assistente, Kazuya Tsurumaki, disse que originalmente eles usaram simbolismos cristãos apenas para dar ao projeto uma vantagem única sobre outras séries do gênero Giant Robot/Mecha, e que não tinham nenhum significado em particular, e que não pretendiam que a série se tornasse tão polêmica (como foi). Anno disse que Eva é suscetível a várias interpretações. Hiroki Sato, chefe do Departamento de PR da Gainax, fez declarações semelhantes as de Toshio Okada

O resultado foi incrível. Evangelion também traz uma critica social forte sobre a sociedade do pós-Segunda Guerra Mundial como um todo, e, em particular, sobre a recessão da “década perdida” do Japão dos meados dos anos 1990, em que “combatendo os “aliens” usando robôs gigantes” realmente foi uma uma metáfora sobre como as pessoas “enfrentam os problemas da vida”. Ela capturou o espírito da ansiedade e da depressão que o Japão estava passando na época, e de muitas maneiras se tornou a voz de uma geração.
.Imagem

Evangelion primeiro refez o gênero “Giant Robot/Mecha” para então usá-lo como criticas e comentários sociais. Evangelion não tem personagens muito “agradáveis” ou “heroicos”, em contraste com os arquétipos comuns: Shinji em vez de ser o “super-herói” do anime é uma espécie de covarde sem rumo na vida, Asuka é uma garota mimada e agressiva (algo adquirido como resultado de experiências traumáticas sofridas na infância), e Rei, é calada e afastada da sociedade humana. Como se pode ver todas essas novas personalidades aplicadas aos personagens quebraram totalmente todo os habituais estereótipos do gênero “Giant Robot”. No entanto, eles não apenas refizeram o gênero: os escritores usaram como uma ferramenta para fazer comentários e fortes criticas sociais sobre o mundo em que viviam, sobretudo, a recessão econômica do Japão da década de 1990 (que, basicamente, destruiu toda uma geração). No entanto, devido ao fato de ter sido feita por fãs do gênero, a série era, às vezes, também uma espécie de meio-tributo de amor ao velho e clássico gênero “Robô Gigante”, quebrando todas as antigas convenções do gênero ao mesmo tempo em que as redefinia.
Percebe-se que Anno também quer fazer uma crítica a indústria de animação.pelas declarações que ele fez:

“Não há mais espaço para a originalidade absoluta em matéria de anime, especialmente tendo em conta que a nossa geração foi criada na era dos animes produzidos em massa. Todas as histórias e técnicas inevitavelmente trazem com eles uma sensação de déja vú. O único caminho de expressão deixada em aberto para nós foi o de produzir um efeito de colagem, como base em uma amostra de uma obra já existente.”
“As pessoas que fazem anime e as pessoas que assistem sempre querem as mesmas coisas. Os criadores têm feito a mesma história em cerca de 10 anos, os telespectadores parecem estar satisfeitos e não há senso de urgência. Não há futuro nisso.”
Imagem
É interessante notar que dito tudo isto acima nós percebemos que Evangelion começa como um anime simples como qualquer outro,com alguns mistérios mostrados de forma simples no inicio e de repente nos causa impacto com os mistérios revelados,a sombria trama da Seele e da Nerv e a análise psicanalítica freudiana profunda de cada personagem.Evangelion fala do ser humano de forma nunca vista antes,tanto de forma instrumental quanto sentimental.E ainda existem mistérios e coisas não reveladas intencionalmente pra Anno instigar nossa imaginação(como a origem da Seele nunca revelada) e as discussões sobre a série sem mencionar referências ocultas e subjetivas escondidas nos episódios que os fãs podem caçar e procurar em cada episódio (sabiam que a Rei faz referência lua e a Asuka ao sol?)
Tem sido dito (e com alguma certa razão) que não têm sido muitos os animes do gênero “Giant Robot/Mecha” que tenham lançado algo significativamente inovador desde que Evangelion foi lançado
Evangelion teve vários problemas durante sua exibição como orçamentos e prazos além da censura da rede de TV que exibia a série.Vários cortes foram feitos na série inclusive.
Anno com sua visão única começou a dar um tom mais sombrio em Evangelion próximo ao fim terminando por abandonar qualquer tipo de narrativa lógica nos polêmicos epsódios finais da série de TV,tornando-a difícil de se compreender.A instrumentalidade humana só se deu na mente de Shinji Ikari com sua luta pessoal interior ignorando toda a história principal.Os fãs não gostaram e protestaram então Anno decidiu criar um filme cujo objetivo era angariar fundos para a produção do verdadeiro fim da série: Death & Rebirth.A primeira parte Death era só um resumão da série com várias das partes censuradas dos capítulos 21 ao 24 e reinseridas aqui.Já Rebirth era só uma “amostra grátis”,uma espécie de preview do filme final com os primeiros minutos do capítulo 25 real.Assim surgiu The End of Evangelion,filme que é o verdadeiro final da série como ele deveria ter sido feito.Ele é considerado como os verdadeiros capítulso 25 e 26 do anime tanto que são chamados 25’ e 26’ (leia como prime)
Mas tarde uma edição especial de Eva em DVD chamada de Director’s Cut vem com todos os episódios com as cenas cortadas presentes em Death reinseridas nos capítulos originais que ficaram conhecidos como 21’ ao 24 ‘.no 24’ existe um preview direto para o capítulo 25’ “Air” ignorando os capítulos finais do anime.

O controverso filme The End of Evangelion

Imagem

Em julho de 1997 com a parceria da Production IG, The End of Evangelion chega aos cinemas japoneses.Como dito antes, o filme é, na verdade, os verdadeiros capítulo 25 e 26 do anime contando com 45 min cada parte.O 25 entitulado “Air” e o 26 “Sinceridade para você” eles seguem o mesmo formato da TV,com seus respectivos títulos e até o estilo dos intervalos comerciais da TV (com os títulos alternativos do epsódio) estão aqui.O filme mostra a continuação dos eventos,como o ataque a sede da Nerv pela JSSDF do Japão e o Terceiro Impacto sendo realizado.Percebemos que muito do conteúdo dos capítulos finais do anime foi reinserido aqui com várias alterações, mas a idéia era a mesma:a instrumentalidade é realizada dento da mente de Shinji Ikari com todos os detalhes que foram deixados de lado do anime acerca da história.
De acordo com a série a instrumentalidade humana é fazer todas as mentes humanas se tornarem uma,retornando tudo ao início,compensando suas fraquezas alcançando a paz eterna.Todas as pessoas possuem um vazio,algo perdido em suas mentes,isso produz fome dentro de suas mentes,ansiedade e medo,todos temem a escuridão em suas mentes da qual tentam apagar ou fugir.Então isso une as mentes e as fazem complementar uma a outra.

Imagem

A Seele queria fazer o ser humano evoluir se tornando um só ser sem fraquezas ou medo,sem ego próprio,sem conflitos com os outros (o que ocasionam guerras e outros problemas),tornar todos em algo próximo ao divino enquanto Gendou queria(com Adão absorvido se unir a Rei(parte da alma de Lilith),encontrar a Yui alcançando o reino divino.Mas o que ninguém imaginava era que Lilith escolhesse somente Shinji para executar a instrumentalidade dentro de sua mente decidindo o destino de toda a humanidade,apesar da Seele parecer concordar com esse Terceiro Impacto fora de seus planos

Imagem.

Esse filme tem muita liberdade artística,abandonando qualquer aspecto “mainstream” que a série poderia ter.Anno foi além ao oferecer um filme com tantas metáforas visuais conceitos filosóficos e freudianos que se torna quase incompreensível,indo muito além um filme de arte ou um anime.
Eu vou ser sincero ao dizer que mesmo que ele termine de forma convincente a série ainda sim não consigo gostar deste filme.Isso porque Anno se esforça tanto em mostrar através de metáforas visuais e sonoras,que faz com que os personagens tenham atitudes estranhas e até mesmo grotescas e incompreensíveis pra chegar a isso.Um exemplo disso é a polêmica (e por incrível que pareça tem uma grande importância na interpretação do final)cena do hospital onde Shinji vê Asuka seminua e se masturba logo depois(que é algo deplorável que um ser humano poderia fazer diante de uma pessoa em coma num hospital,mesmo que Shinji seja um jovem com hormônios a flor da pele).Aparentemente era uma de muitas formas de mostrar que Shinji correu para Asuka,com medo de Misato e Rei,como uma forma de fugir da realidade.de qualquer forma, após isso Shinji sentiu culpa,se chamando de desprezível e esse se tornou um dos motivos de ele querer morrer durante o filme. Existe uma cena em Live Action que substitui aquele mundo “normal” do epsódio 26 da TV,que de certa forma me deixou surpreso por ser inesperado.
A cena mais estranha sem dúvida é a do final que levanta debates até hoje onde Shinji(após aceitar a realidade mesmo sendo dolorosa) deitado diate do mar vermelho,naquele cenário apocalípico, vê Asuka ao seu lado ecomeça inexplicávelmente estrangulá-la e ele só para quando a garota acaricia seu rosto e então ele começa a chorar e ela o diz que se sente doente(ou algo do tipo).Parece até uma continuação de uma cena antrior dentro da mente dele em que ele faz o mesmo.

Em 1998 a Bandai através de um cartão disse a seguinte declaração:

“Shinji renunciou ao mundo, onde todos os corações haviam derretido em um e outro aceito incondicionalmente…” Seu desejo de viver com” outros “-. Outros corações que às vezes rejeitam, ou mesmo negar-lhe. É por isso que a primeira coisa que ele fez depois de chegar a seus sentidos era colocar as mãos em volta do pescoço de Asuka. Sentir a existência de um “outro”. Para confirmar [certificar-se de] rejeição e negação “.

Como dito antes Shinji tenta fugir procurando conforto e Asuka(conforme ele demonstra na cena do hospital quando implora a ela por ajuda e durante a viagem introjectiva,isso é o principal foco,quase tudo é baseado nesta questão,por isso Asuka parece ter tanto foco.Na série, Asuka se sente mal por causa do destaque que Shinji ganhou( na cabeça dela) como o herói que salva o dia enquanto ela mesma não conseguia fazer nada sozinha.Por isso que é dito que Asuka foi aquela que Shinji mais machucou e suas atitudes repudiando Shinji classificaram a garota como aquela que mais rejeitou/negou Shinji.

Simplificando, Shinji havia recusado a instrumentalidade,fazendo com que todos os humanos voltassem a ser seres independentes com a parede em volta de seus corações,podendo machucá-lo e rejeitá-lo novamente.Então ele resolve estrangular Asuka esperando que ela o rejeitasse como sempre faz,mas ao invés disso ele acaricia seu rosto.É a primeira vez que Shinji presenciou uma aceitação por parte de alguém,especialmente da Asuka.

Imagem

Sobre o fato de só a Asuka ter retornado do estado de LCL, parece ser outra análise complicada: “No mar de LCL, Shinji desejou um mundo com outras pessoas. Ele desejava encontrá-los novamente, mesmo que isso significasse que ele seria magoado e traído. Assim como ele esperava / queria, Asuka estava presente no novo mundo . Apenas Asuka estava lá ao lado dele. A menina a quem ele havia ferido, e que tinha sido ferida por ele. Mas, mesmo assim, ela era a que ele esperava / desejava para …. “

Apesar dessa explicação no meu entender Asuka foi a primeira(e talvez única?) que olhou para seu próprio coração além de Shinji.Ela pode ter feito a mesma viajem introjectiva dentro de sua mente assim como ele,ou seja,não parece ter sido por “vontade do Shinji”

De acordo com um episódio de um programa sobre animes Anime Yawa que foi ao ar 31 de março de 2005 na NHK , a linha final de Asuka foi inicialmente escrito como “eu nunca gostaria de ser morto por você de todos os homens, absolutamente não!” ou “Eu nunca vou deixar você me matar.” ( “! Anta Nankani korosareru nowa mappira yo” ), mas estava insatisfeito com Anno Miyamura de interpretações desta linha. Eventualmente Anno lhe fez uma pergunta que descreveu o que ele queria que ela seguisse para com esta cena:

“Em relação à linha final adotamos, eu não tenho certeza se eu deveria dizer sobre isso, na verdade. Finalmente Anno me perguntou ‘Miyamura, imagine que você está dormindo em sua cama e um estranho foge para seu quarto. Ele pode te estuprar a qualquer momento, como você está dormindo, mas ele não o faz. Ao invés disso, ele se masturba olhando para você, quando você acordar e saber o que ele fez com você,o que você acha que você diria? ” Eu estava pensando que ele era um homem estranho, mas naquele momento eu senti nojento. Então eu disse a ele que eu pensei “Nojento”. E então ele suspirou e disse: “Eu pensei tanto”

Imagem

Existe uma dica que Yui e Rei deixaram dizendo que os seres humanos poderiam voltar desde que conseguissem olhar para dentro de seus próprios corações.Rei e Kaworu seriam a representação do “desejo das pessoas puderem se entender” e também a representação do “amor”
Difícil de compreender mais tudo muito filosófico.Mas ainda assim prefiro a instrumentalidade da versão em anime,menos complicada,menos estranha e até mais completa.Não me importaria se colocassem tudo que compõem essa parte do anime no filme.

O mangá
.Imagem

O mangá foi idealizado por Yoshiyuki Sadamoto.Apesar de ter chegado antes do anime,em fevereiro de 95,Eva mangá foi feito baseado no roteiro já pronto de Evangelion para o anime.Sadamoto tem um pensamento diferente de Anno então ele modificou várias coisas em função de sua visão para Eva.então apesar do roteiro ser o mesmo a abordagem é diferente,são tantas diferenças que o mangá é considerada a segunda versão de Evangelion sem muita ligação com o anime ou o filme.
Na minha opinião sincera Evangelion mangá é uma obra prima,que supera e muito o anime tanto na abordagem quanto na parte sentimental e filosófica.Sou um fã incondicional de Sadamoto e simplesmente adorei e muito a versão dele do mundo e dos personagens de Eva.Sob a batuta dele,os personagens são muito mais humanos e mais compreensíveis.Enquanto o anime de Eva esconde o ouro  até um pouco mais da metade da série para só então revelar sua verdadeira natureza,o mangá já mostra desde o princípio o quanto é profundo e filosófico,mostrando o duro relacionamento das pessoas o lado bom e o ruim do ser humano.
Perguntas constantes do “por que nós precisamos nos relacionar com os outros?” ou “por que o ser humano não consegue compreender o outro?” são constantes.Fora que Sadamoto abandona toda a psicoanálise de Anno então podemos esquecer das viagens introjectivas de Shinji dentro de sua mente,ao invés disso temos mais detalhes do passado do rapaz e sua relação com a mãe(como no capítulo em que ele fica preso dentro do Eva).Shinji também é muito mais sincero e revoltado no mangá,ele discute com Misato e Asuka durante a série e podemos presenciar seus pensamentos mais profundos em vários momentos ao contrário do anime.Existem cenas que me levaram as lágrimas comoa emocionante cena do hospital onde Shinji é ignorado por seu pai e recebe palavras de incentivo e conforto de Misato enquanto o garoto se debanda a chorar dizendo que queria ter ouvido aquela palavras de seu pai naquela hora.Seu relacionamento com Rei(que tem um lado humano muito melhor explorado do que o anime) é muito mais aprofundado com o rapaz tendo várias conversas importantes e demonstrando uma grande preocupação com ela(mas nada no sentido romântico como muitos acreditam ser) “é como se ela fosse uma parte de mim que foi separada a muito tempo” diz Shinji a Asuka.
Asuka tem seu passado com leves modificações como o fato de ela ser um bebê de proveta com DNA de uma pessoa renomada(não se sabe quem era)
Os motivos de separação de Misato com Kaji são completamente diferentes do anime,graças a inserção do passado do Kaji onde ele assim como Misato tiveram suas vidas salvas em troca da vida dos outros,se separando quando acharam que não tinham o direito de felicidade por causa disto(a separação parece ter partido dele embora pareça haver um consenso de ambas as partes)
Kaworu Nagisa foi introduzido mas cedo e sua relação com Shinji é mais explorada que no anime.Muitas cenas do mangá são mais impactantes como a morte de Toji durante o incidente da unidade 03(No anime ele sobrevive) fora que Shinji já sabia que ele era o piloto desde o inicio causando muito mais impacto sentimental na cena.
Atualmente o movie final está sendo convertido perfeitamente e com várias mudanças fantásticas tornando-o muito mais interessante.A cena polêmica da masturbação foi retirada e Shinji felizmente conseguiu salvar asuka da extrema mutilação que ela sofre no filme.Como sempre existem diálogos inéditos como Gendou revelando seus verdadeiros sentimentos em relação ao seu filho,sua esposa e seus objetivos.Aparentemente em vez de outra viagem incompreensível dentro de si mesmo,uma parte das memórias esquecidas do garoto é mostrada no momento do Terceiro Impacto.Se o final vai ser diferente ou não ainda não sabemos porque Eva ainda não terminou(espero que não demore muito pra acontecer,fora a ansiedade por saber o que vai vir a seguir)
O mangá de Eva é uma verdadeira tempestade de sentimentos.mesmo sem possuir vozes,cores ou movimento e as fantásticas e tensas batalhas do anime o mangá de Eva vai emocionar nos momentos mais tristes e causar desespero(e até depressão) nos volumes finais,quando personagens importantes morrem um a um de forma mais impactante e emocionante que o anime
Sem dúvida Eva é o melhor e mais importante mangá de todos os tempos,de todos os gêneros.

Rebuild of Evangelion

Imagem
Em 2006 Anno reuniu um grupo de profissionais da área da animação para criar o Studio Khara.Usando todos os recursos disponíveis eles queriam trabalhar em um projeto grandioso,que causou surpresa ao ser revelado: a recriação de Evangelion(Rebuild of Evangelion).
Parece que os motivos por trás disto são vários.Anno declarou que não gostou das pessoas terem ignorado seus avisos transformando Evangelion num império do merchandising.Também de uma insatisfação com a indústria de animação:

“Muitos desejos diferentes foram a motivação para criarmos os novos filmes “Evangelion”… O desejo de lutar contra a tendência constante de estagnação nos animes.
O vontade de apoiar a força do coração que existe no mundo…
Muitas vezes nos perguntamos: “É um título que tem mais de 10 anos de idade. Por que logo agora?”
“Evangelion é tão antigo”, nós sentimos.
No entanto, nos últimos 12 anos, não houve anime mais inovador que Evangelion.”

Existe também uma certa mensagem e crítica ao estilo otaku de raiz que segundo Anno a indústria de anime provoca um altísmo forçado no indivíduo.Na música “Beautiful World” temos a seguinte frase: “você só pensa em shonem mangá,não gosta de si mesmo?” o que parece constatar isso.

Bom de qualquer forma a idéia é criar uma releitura da série,surpreendendo so fãs antigos e trazendo novos ao universo Eva usando tecnologia de ponta e efeitos especiais e animação nunca vistos antes na série.Assim 4 novos filmes seriam produzidos, a estrutura dos nomes dos três é um clássico jogo japonês: Jo-Ha-Kyu (Começo, Meio, Fim). Sim, eles escolheram ironicamente citar a série de filmes como uma tetralogia depois de uma estrutura de três atos: o quarto filme é literalmente chamado de “?” (o símbolo de interrogação em si).

Rebuild of Evangelion: 1.0 – You Are (Not) Alone – lançado em 01 de setembro de 2007
Rebuild of Evangelion: 2.0 – You Can (Not) Advance – lançado em 27 de junho de 2009
Rebuild of Evangelion: 3.0 – You Can (Not) Redo – lançado em 17 de Novembro de 2012
Rebuild of Evangelion: 4.0 – ? – sem data exata de lançamento

Rebuild sem dúvida é uma obra-prima da animação.nunca vi CGs,efeitos especiais e animações tão fantásticas assim desde Metrópolis em 2002.Nem mesmo os renomados animes do Kyoto Animmation Hyouka(que tem uma animação,efeitos e CGI a nível de um movie) e o filme de Haruhi Suzumiya (que supera Hyouka e o anime de Haruhi) conseguiram chegar a esse nível,não dá pra acreditar no que nossos olhos vêem.Tókyo-3 está com um nível absurdo de tecnologia,e ainda assim parece tão realista e viva,como se existisse um lugar assim na vida real.Você vai se espantar com o número de pessoas transitando,com os sons vindos de todos os lados,dos efeitos de entardecer,chuva,a natureza!é simplesmente incrível!os Evas se movem de forma tão fantástica que você até passa a acreditar que existem mechas de verdade e capturaram os movimentos deles pra inserir no filme.As batalhas com os Anjos são ainda mais intensas e de deixar com o coração na mão mais do que no anime.
O primeiro filme é basicamente uma reedição dos sés primeiros capítulos do anime,com algumas mudanças aqui e ali,mas de certa forma ainda é tudo muito parecido.Mas no segundo tudo muda drásticamente.A história,a inserção de novos personagens,novos Evas e situações fazem até parecer outra série com o mesmo espírito de Eva.

Mas a coisa que mais surpreendeu foi a nova abordagem da série.Anno aparentemente abandona quase toda a pisicoanálise complexa que tornava Eva difícil de se entender e passou a focar um pouco mais nos sentimentos dos personagens quase igual ao mangá do mestre Sadamoto.Shinji é um pouco mais sincero(não tanto quanto o do mangá é verdade) e um pouco mais heróico.E qual foi a maior surpresa deste que vos escreve quando vi a Rei ser mais humana (até do que no mangá talvez).Logo no segundo filme fiquei surpresa quando vi o esforço da menina em fazer Gendou e Shinji se aproximarem fazendo um jantar pros dois,e a cara de surpresa ao saber o que aconteceu com a Asuka no teste da unidade 03(ao invés do Toji como no anime).Asuka teve quatro importantes surpresas.A primeira é seu nome que mudou de Souryuu para Shikigami(não se sabe o porquê da mudança),a segunda é que ela não possui mais a paixão platônica por Kaji.A terceira é que ela demonstra de forma mais clara ter sentimentos amorosos por Shinji,que é constatado com crises de ciúme quando o vê se aproximar da Rei,ou quando ela resolve cozinhar pra ele.A quarta é a mais impactante: Asuka é mais sincera com seus sentimentos ao contar tudo que sente quando está perto de seus amigos para Misato antes do teste da unidade 03
E Eva parece querer surpreender o público com novas e empolgantes abordagens a cenas clássicas: o coração vai a mão quando a cena recriada do episódio 18 quando gendou autoriza o Dummy Plug para destruir a unidade 03 que desta vez é pilotado pela Asuka recriando de um jeito ainda mais intenso essa fatídica cena(e ainda com uma música cantada de fundo de doer no coração), essa cena me tirou o fôlego tanto quanto a morte de Toji no mangá.

A outra é a cena mais linda e incrível da história dos animes: Quando O Anjo absorve Rei e a unidade Zero e Shinji decide pelo seu próprio desejo salvar a Rei,até mesmo transformando o Eva 01 numa criatura quase divina para salvá-la ocasionando o inicio do Terceiro Impacto.A cena com ele em forma espiritual lutando para puxar a Rei mesmo esta admitindo a morte porque pode ser facilmente substituída e com uma belíssima canção de fundo cantada me levou as lágrimas de emoção,além do espetáculo visual e poético da cena.

E a trilha sonora?simplesmente espetacular.As músicas de fundo são incríveis ofuscando toda a trilha sonora do anime.Sem falar na maravilhosa canção tema “Beautiful World” cantado pela incrível e fantástica Utada Hikaru que já nos brindou com obras-primas como “Passion”(“My Sanctuary” na versão americana) tema sublime do jogo Kingdom Hearts 2.a música é incrível,tem uma letra e composição fora do normal e vai ficar na sua mente pra sempre.

Sem dúvida nenhuma eu gostei mais de Rebuild do que do anime.Depois do mangá essa é minha versão favorita.

Ah! Agora existe um debate sobre a possibilidade de Rebuild ser uma continuação de The End of evangelion.o site EvangelionBR publicou uma imagem na qual um fã da série montou um diagrama que compara fatos escondidosnos filmes que podem ser indícios de uma possível continuação.Se é verdade ou não seria algo insano imaginar que tudo foi refeito,mas Anno adora brincar com nossas mentes e pode ter inserido aquilo apenas para nos desviarmos da verdadeira história de Rebuild que cada vez surpreende com as mudanças do recém lançado terceiro filme.ta aí a imagem abaixo pra que vocês tirem suas próprias conclusões e instiguem a sua imaginação:

Dublagem e música

Imagem

A dublagem de Eva é a melhor eu já vi num anime.natural e interessante com as vozes certas para os personagens.Vou comentar só dos principais personagens: Megumi Okada(Sailor Urano,Kurama) é simplesmente PERFEITA como Shinji. Ela passa todas as nuances psicológicas de Shinji durante a série.É incrível como ela faz sua voz parecer com a de um rapaz e todas as viagens psicológicas de Shinji é onde ela atinge o ápice da perfeição.Megumi Hayashibara(a de Saber Marionette) é incrível como Rei.Ela consegue fazer a Rei inexpressiva sem parecer um robô afinal ,não é que a menina não possui sentimentos,ela só não os conhece.Yuko Miyamura passa muito bem o jeito mimado,rebelde,desbocado e tsundere de Asuka conseguindo ser infantil como a personagem em vários momentos.mitsuishi Kotono( a eterna Sailor Moon) faz a voz de Misato.Quem a conhece de sua série mais famosa vai se surpreender com o misto do jeito mais infantil da voz de Usagi/Serena com o de uma mulher mais madura!outros como Gendou,Fuyutsuki,Ritsuko também tem destaque.

Shiro Sagisu compôs a maioria das músicas para Neon Genesis Evangelion , Registros Rei e sua gravadora Starchild (especializado em animação, música e cinema) Yoko Takahashi cantou a música “Tese de Anjo Cruel”, que foi usada como tema de abertura da série. A música “Fly Me to the Moon” originalmente por Bart Howard em 1954. (e importalizada na voz marcante de Frank Sinatra) foi realizada por várias dubladoras da série de anime e essas versões da canção foram usadas como tema de encerramento para a série. Músicas-tema também foram concedidas para os filmes da franquia Evangelion: Death and Rebirth , seu seguimento The End of Evangelion e três parcelas da série de filmes do Rebuild of Evangelion.

Legado

Imagem

Evangelion foi uma completa desconstrução, que ninguém realmente sabia como responder a ela, então, na melhor das hipóteses, tentaram imitá-la. como resultado disso existem hoje dezenas de garotinhas mimadas semelhantes a Asuka, depressivos e auto-destrutivos iguais a Shinji, que a essa altura, já tinha se tornado um novo padrão, e desinteressadas e desamparadas Reis se tornaram comum em muitos animes hoje em dia. Tem sido dito (e com alguma certa razão) que não têm sido muitos os animes do gênero “Giant Robot/Mecha” que tenham lançado algo significativamente inovador desde que Evangelion foi lançado.

Conclusão

É difícil falar sobre Evangelion.Tive de pesquisar muito,assistir os episódios novamente,rever o mangá e tirar várias partes da internet para compor a matéria.Essa é minha homenagem a série que é a minha favorita de todos os tempos.espero que tenham gostado tanto quanto eu de escrevê-la

Anúncios

15 respostas em “Análise profunda: Neon Genesis Evangelion: A fera que gritou “eu” no coração do mundo

  1. CARALHO, Franco! Que matéria fudida de boa! Perdão os palavrões, mas não encontrei outras palavras mesmo pra dizer o quanto gostei do post *——————–*

    Que fantástico, aprendi bastante com o post, não sabia dessa parte pessoal do Anno estar totalmente envolvida com a série e as declarações do mesmo apesar de polêmicas são totalmente verdadeiras. Nenhum anime consegue superar EVA, tem muitos bons por aí e é verdade, mas igual EVA é MUUUUTO difícil criar. Só um novo EVA poderia superar o anime e o Rebuild é a maior prova disso. Nunca vi um anime ser tão discutido por anos como EVA é e merece isso, ninguém consegue chegar a uma conclusão inteiramente correta sobre os finais, é tudo muito interpretativo e aberto para discussão e isso que é sensacional.

    Curioso também é este sentimento que EVA é algo antigo. Ao rever os episódios nesse ano eu tive essa mesma sensação. Quando vi o anime pela primeira vez anos atrás parecia que 2015, ano em que ocorrem os eventos da série, era algo distante e inalcançável. Mas estamos já em 2012, daqui a pouco chega 2015 e é até um pouco deprimente ver que a humanidade não melhorou em nada desde que o anime foi criado e parte dela chega até a desejar que um “terceiro impacto” ocorra porque quem sabe com uma instrumentalização humana as pessoas consigam finalmente se entender um pouco melhor gerando menos guerra, fome, corrupção, dor, mortes. Isso não vai acontecer na nossa realidade, mas pelo menos mudanças nós desejamos constantemente e essas reflexões sociais ou pessoais têm em todas as obras de EVA que são maravilhosas. Um anime digno!

    Parabéns mais uma vez pelo post. SENSACIONAL!

    • Sim é verdade!foi preciso uma série de jogos de videogame pra fazer frente a Eva,falo da série Xenogears e Xenosaga que contém um estilo similar a Eva com religião,ciência,filosofia(mais acentuada até do que Eva) e apesar de seu criador Tetsuya Takahashi negar, não dá pra não perceber que sofreu fortes influências de Eva (existem semelhanças entre KOS-MOS e Rei)
      Eu acho que algo melhor do que Eva só outro Eva como prova Rebuild onde Anno conseguiu se superar
      Eva consegue mexer com todas as minhas emoções mas que qualquer outro mangá ou anime ele me deixa alegre,triste,depressivo,me emociona,me faz pensar,ensina várias coisas e cativa como ninguém

  2. de verdade… eu já era meio doido, caí do berço de cabeça, quando era pequeno, enfiei um prego na tomada… e quando conheci evangelion, estragou o resto XD

  3. Pingback: 36ª Premiação Japonesa do Oscar anuncia filmes de animação que concorrem a melhores do ano « ALCHEMIST NANY

  4. Parabéns pelo texto, sempre gostei de EVA, mas me afastei da série há muito tempo e gostaria de me “reciclar”, então gostaria de uma ajuda: qual a melhor ordem (anime, filmes,…) para acompanhar e entender a série?

  5. Muito bom, perfeito, Com certeza um dos melhores animes e com o enredo mais complexo. Esta entre os meus favoritos, junto com death note, code geass, mirai nikki e deadmanwonderland.

  6. “Evangelion sem dúvida é a melhor obra da animação japonesa e do mangá.”
    Discordo, O anime Serial Experiment Lain é tão bom quanto Evangelion, com uma profunda abordagem filosófica e psicológica. O mangá não chega aos pés do anime e perde muito da força filosófica e piscológica, havendo alteração na personalidade dos personagens.

    • discordo.O manga e tão ou mais profundo que o anime,existem muitos diálogos que nem sequer existem no anime e etc.Mas o anime é sensacional da mesma forma mas o mangá é mais sentimental por isso melhor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s