Além do Shonem Mangá: Bleach e a subjetividade

Imagem

Quando conheci Bleach em 2006 ainda pelo anime, imaginava que ele era um shonem mangá mais profundo que o normal, mas o encarava como um shonem convencional com uma roupagem mais moderna. Mesmo assim a profundidade dos personagens e suas motivações iam algo além do que um batle shonem normalmente oferecem.Ao conhecer o mangá me deparei com duas coisas interessantes: os pomas do autor Kubo Tite e seus psicodélicos e curiosos títulos os capítulos que ambos dizem muito do que acontece em cada capítulo sem nem ao menos percebemos.
Imagem

Imagem

Pois bem a saga da Soul Society foi uma saga bem normal na Jump. Uma trama interessante,um resgate,lutas absurdas e reviravoltas ao descobrirmos um plano genialmente arquitetado que enganou a todos.Na saga seguinte (Arrancar) tivemos muitos personagens novos,novas informações a respeito da característica desses novos inimigos e um aumento crescente na quantidade de lutas.Bleach não tinha uma grande trama  seguir,pouco revelou segredos existentes na série e suas lutas desagradaram em cheio os fãs de pancadaria que não gostaram dos métodos de cada embate e como terminaram.Algumas reviravoltas como a do Yammi e o aumento enorme do poder de Ichigo(conhecido como protagonismo entre alguns fãs) além do ritmo lento dos capítulos fizeram alguns largarem o mangá alegando que Bleach não era mais tão bom quanto antes.A saga dos Fullbringers fora considerada a pior da série e até fez  ter uma queda de popularidade enorme lá no Japão.

Imagem

Imagem
Aí chovem criticas a cada capítulo de Bleach. Direto.Nunca achei que a série estivesse caindo tanto assim.Seria normal o cansaço e a pressão da Jump em esticar o mangá pudesse estar afetando o desempenho do autor.Mas aí me deparo com a declaração da última saga do mangá em que o autor não somente iria deixar algum mistério no segredo do Ichigo para os leitores pensarem e também com a revelação que Bleach possuía 4 temas ocultos ligados a cada arco do mangá.Ele tinha um tema pra cada personagem da série (Soul Society-Rukia,Arrancar-Orihime,Fullbringers –Sado e a atual dos Quincy que deve ter Ishida como foco) de certa forma queriam me dizer algo.analisando tudo fazia sentido,cada saga realmente tinha um foco oculto em cada um deles.Isso não era cansaço coisa nenhuma.
Imagem

Imagem
Recentemente no meio de uma visita a um fórum famoso de mangás me deparo com a velha discussão sobre a qualidade de Bleach. Um de seus membros novos veio dizer que Bleach possuía uma profundidade oculta que poucos entenderiam e provou postando teorias e análises do mangá da comunidade de Bleach no Orkut.Analisando as teorias descobrimos um lado do autor que não conhecíamos e que sim Bleach é um mangá subjetivo,que ia além de um mangá shonem comum
Imagem

Imagem

Subjetividade

Como dito Bleach é subjetivo. Ou seja possui metáforas e temas ocultos com o objetivo de fazer o leitor conjecturar, analisar e interpretar cada mensagem.É um mangá que desperta vários tipos de interpretações.Kubo é um grande amante música e cada personagem teme construído tendo um tema musical como base.Um exemplo em dos Fulbringers, 4 deles tem nome de uma música.Riruka possui o DollHouse de Priscila Renea.Jack Tristan possui a Dirty Boots nome da música da banda Sonic Youths.Yukio é Invaders Must Die da banda The Prodigy.Cada uma delas possui em sua letra tudo a respeito daquele personagem.
Os poemas de Kubo refletem tudo que acontecem naquele volume e os títulos de cada capítulo Também. Um exemplo é da batalha mortal entre Ulquiorra e Ichigo totalmente baseada nos pecados capitais.Karneades Back to Back é a prova que Kubo também vai fundo em literatura.Karneades é um filósofo que estudava a arte da guerra e suas implicações(mais detalhes é só pesquisar no Google).Esse capítulo mostra o que houve entre Quincys e Shinigamis e o sacrifício feito no extermínio dos Quincys.
Imagem
A saga dos Arrancars é mais subjetivas do que as outras. Imagino duas possibilidades que explicam isso.A primeira seria que o editor de Kubo tenha dito o seguinte: “Vamos aumentar o número e quantidade de lutas” e Kubo pra não tornar o mangá em apenas pancadaria deixou motivações profundas,ideologias e metáforas em cada uma delas.A outra seria que na Saga da SS o editor guiou Kubo no mangá mas depois o deixou livre pra continuar,o que fez ele usar mais de sua liberdade criativa sem perder o foco do Shonem,afinal Bleach é um mangá sobre lutas ainda.
E cada luta, adversário e modos de termino delas foram planejadas meticulosamente. Não foi algo aleatório algo e qualquer jeito.Kenpachi VS Nnoitra mostra dois pontos de vista sobre buscar a força.
Izayel Aporro Granz VS Mayuri representam a luta do divino contra a ciência. E não é só isso cada Espada possui um aspecto de morte que está intimamente ligado a seus ideais,personalidade,modo de vida e a forma de como ele morreu.A morte pelo sacrifício de Hallibel contrastando com uma técnica que Hitsugaya hesitava em usar temendo o sacrifício dos outros.A solidão de Stark que de tanto poder que tinha não conseguia ter ninguém próximo dele,a ponto de se dividir em dois pra não ficar sozinho.O Nilismo de Ulquiorra que não entendia nada sobre o coação que Inoue tanto falava,mostrou interesse nela e em Ichigo e morreu imaginando o que ria afinal aquele coração que tanto falavam.
Imagem

Um protagonista diferente

Ichigo o criticado protagonista, sem objetivos como se tornar rei de alguma coisa, ou o melhor lutador do mundo, sem falar no poder e evolução imensos que ele adquire e viradas inesperadas em lutas praticamente vencidas (que nós chamamos de protagonismo).
Só que segundo algumas pessoas que estudaram Ichigo sua imensa vontade de proteger é sua força e sua fraqueza e resultado da ascensão do poder Hollow, que representa o vazio existencial do ser que perdeu alguma coisa. Esse vazio deve-se a um trauma de infância,a perda da mãe,a culpa por ter deixado ela morrer sem conseguir protegê-la Ichigo que tinha dependência patológica pela sua mãe,desenvolveu uma necessidade imensa de proteger os outros.Embora seja sua força,essa necessidade aliada a frustração ao deixar de proteger alguém de novo em lutas que estavam perdidas faziam ascender seu Hollow interior(lembram da luta de Ichigo e Ulquiorra onde Ichigo praticamente morto despertou completamente o Hollow interior ao atender o chamado de Orihime?)
Ou seja, não rola nenhum protagonismo, o autor encaixou muito bem a situação do Ichigo com a estrutura das lutas dos shonem mangás onde são comum lutas onde os protagonistas conseguem viradas impossíveis através da perseverança e força de vontade.

Imagem

Imagem

Mudando de direção

Quando Masashi Kishimoto resolveu experimentar maior complexidade em Naruto numa situação confortável, o risco de perder leitores era muito grande. No entanto sabemos que o autor tinha grande admiração por Dragon Ball(Shonem) e Akira (Seinem) e que de certa forma ele queria criar algo que mesclasse esses dois estilos.Em algum momento Kubo pode ter tomado a decisão de também modificar sua obra e transmitir a sua mensagem.Sinto que o autor tem realmente um gosto por poesia,música,literatura,e subjetividade pois tudo isso é parte integrante do mangá Bleach.Os que entenderem a mensagem e perceberem que não se trata de um simples mangá shonem de batalha vão continuar a acompanhara obra.Os que não entenderem essa subjetividade escondida, simplesmente vão largar o mangá por qualquer motivo.Deve ser por isso que Togashi fazia arcos com histórias e vilões comuns no inicio pra depois tentar algo mais complexo nos arcos de Toguro e Sensui em seu YuYu Hakusho.Provavelmente você deve então estar se perguntando :por que não tenta outro gênero de mangá?Ou literatura?A resposta é simples: ele ama mangás shonem, ele ama o que faz e assim como Oda, Kishimoto, Mashima decidiu entrar no ramo graças à paixão por aquela famosa obra em que um garoto com um rabo e um bastão desbravava o mundo em busca de aventuras. Se você perceber Bleach ainda é um shonem mangá: lutas em grande quantidade e extremamente exageradas,as piadas,os fanservices ta tudo lá como todo shonem tem,existem clichês como todo shonem e contém defeitos e erros como qualquer obra feita pelo homem.Mas também existe algo escondido,implícito,não explicado que se você parar e analisar vai se deparar com um dos melhores trabalhos feitos por um autor dos novos tempos.Garanto!

Quem quiser ver mais a fundo o que Bleach esconde nas entrelinhas aí está o link do fórum : http://forum.xpg.com.br/topic/63023-analises-da-comunidade-bleach-project-do-orkut/    Quem tiver conta no Orkut pode ser uma boa oportunidade de ver a opinião e análises mais a fundo e conhecer a comunidade, e quem não tiver conta é só olhar os posts que o autor do tópico publicou lá mesmo em spoiler. Se ainda sim mesmo depois você ainda achar se tratar de um shonem mangá comum então é sua opinião.

Anúncios

3 respostas em “Além do Shonem Mangá: Bleach e a subjetividade

  1. Que post SUPREMO, Franco! *-*

    Admito que sempre gostei de Bleach por conta das lutas e das cenas cômicas, são coisas que me atraem muito em um mangá, não é pra menos que amo Fairy Tail, o Mashima faz questão de piadas nos seus capítulos ^^

    Mas todo tipo de entretenimento que tenho contato eu gosto de trazer para o “meu mundo”, ver filmes, ler livros, ver animes, ler mangás, muitas vezes cada cena, cada ato nos traz informações riquíssimas seja algo mais profundo ou uma singela mensagem clichê de amizade, por exemplo. Refletir em cima de cada coisa é muito bom e interessante! Bleach tem coisas clichês? Tem e muito, mas como você mesmo colocou nesse post, tem algo mais além. Começaria citando os poemas em cada volume porque são épicos! Gosto particularmente do poema do segundo volume que diz: “Pessoas têm esperança, porque a morte é algo que não se pode ver”. Falar sobre a morte é um assunto complicado, para alguns um tabu, seria esse mesmo o motivo de termos tanta esperança? E esse é só um exemplo, há vários outros poemas bons que levam você a reflexão.

    Sobre o protagonista, você o descreveu perfeitamente! Ichigo carreaga um trauma de sua infância por ter perdido a mãe e isso o muda completamente, sem contar que o cenário usado para tal fato foi sob chuva. Muitas vezes a chuva é vista como melancolia, tanto que as “memories in the rain” de personagens como Ichigo e Rukia são os mais depressíveis possível. Kubo ainda conseguiu se aproveitar de tudo isso e fazer dos pensamentos da Inoue praticamente uma narração da profundidade de tudo isso: “Se eu fosse a chuva, poderia eu me conectar ao coração de alguém assim como ela pode unir os eternamente separados, terra e céu?” O próprio Zangetsu fala que o mundo interior do Ichigo por vezes chora, e o próprio já citou que a Rukia fez essa chuva parar, mas sabemos que vira e mexe ela volta. E isso acontece com todo mundo, seja em Bleach ou no real world. XD

    E poderíamos ficar o dia inteiro discutindo sobre a profundidade de Bleach, citando até recentemente o modo como o autor mostrou ao público uma relação de amizade, respeito e companheirismo entre o Yama-jii com o Choujirou-fukutaichou ^^ Você ainda colocou neste post, uma cena que chorei loucamente no mangá, que foi essa declaração de amizade LINDA E SUPREMA do Komamura para o Tousen! Não são meus personagens preferidos nem de longe, mas esses laços de amizade criados e mostrados durante luta são muito comoventes.

    E mais, acho que você analisar cada cena de um anime/mangá e trazer para seu mundo interior pode fazer com que você se envolva mais emocionalmente com a obra, entender melhor a história, e se divertir mais com esse tipo de entretenimento! Acho que é por isso também que não droppei vários animes por aí até (LOL).

    Mais um excelente post, Franco! De fato, supremo! (y) Parabéns!

    Ótima semana ♥

    • Hahaha!que bom que você gostou!mas devo agradecer a esse post do fórum project e a comunudade de Bleach no Orkut que tem um povo que tem uma inteligência e percepção fora do normal.Tinha coisas ali que nem se passava pela minha cabeça,me surpreendi com as partes que falavam sobre Mayuri e Izayel ou o significado do temo “Ore por Predadores” que nem fazia idéia.Curiosamente o novo volume de Bleach tem no título uma frase de Frederich Neiztche que publicou “Além do bem e do mal” obra que inspirou o universo Xenogears e Xenosaga.Sem dúvida antes de ser um autor Kubo também é um artista que gosta de expressar uma idéia,que foje do senso comum de contar histórias mas que infelizmente afasta leitores e poucos conseguem compreender.mas estes que percebem o que está
      oculto,que não só um grande enredo serve pra contar uma história e transmitir um pensamento vão continuar apoiando este mangá

      • É, Franco, isso que você citou aí no comentário também não sabia! Temos muito o que aprender sobre Bleach e o Kubo, mas foi o que você disse: Nem todos tem paciência e se não entendem algo já passam automaticamente a não gostar, triste.

        Bleach para sempre! Continuemos apoiando ♥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s