Final Fantasy X: simplesmente uma obra-prima

Image

É difícil descrever FFX.Definitivamente os programadores da Squaresoft (hoje Square-Enix) não são pessoas normais.Difícil imaginar que eles conseguiriam ir além com jogos de vídeo-game com a simples função de entreter e atingir patamares artísticos tão grandiosos como o cinema ou livros.Mas não é para menos.Yoshinori Kitase diretor do jogo é formado em cinema.Sua direção artística com jogos anteriores da série como FFVII e VIII são bem evidentes pois vemos os games com cara de filmes,cujos ângulos,cenas rolam coma mesma desenvoltura..E nada melhor do que os JRPGs estilo de jogo em que os japoneses amantes da arte e do perfeccionismo querem expressar sua visão e oferecer algo com mais conteúdo que o normal.Esse estilo nos permite viajar para mundos fantásticos criados pela imaginação de uma pessoa tal qual um livro de fantasia.Vivemos a história de personagens criados com esmero e dedicação capazes de nos transmitir sua emoção e sentimentos criando um vínculo enorme com o jogador.Não é a toa que FF é uma série incrível capaz de atrair uma legião de apaixonados que vibram cada CG,a cada reviravolta do enredo,a cada cena emocionante do jogo. Com o poder do PS2 os games de RPG atingiram um novo nível capazes de trazer uma imersão sem igual dentro do mundo dos jogos com sua tecnologia se aproximando cada vez mais da realidade

Um novo nível de imersão
Image
Enquanto as outras empresas costumam usar a tecnologia apenas pra impressionar os jogadores com gráficos incríveis e realistas,outras como a Square preferem usar a tecnologia para melhorar a experiência de jogo.Graças ao poder do hardware no PS2 foi possível atingir um nível cinematográfico ao jogo, algo maior do que o que foi visto antes na série.Com a tecnologia de expressões faciais realistas agora a câmera pode se aproximar e os personagens mostram um sem número de expressões demonstrando ainda mais seus sentimentos.Isso é reforçado pelas vozes e a atuação dos dubladores deixando tudo ainda melhor.Graças a isso a imersão do jogador no jogo melhorou exponencialmente cativando ainda mais o público.Isso fica evidente já na cena da apresentação do jogo em que vemos os personagens se preparando para ir até Zanarkand.Não há diálogos, as expressões faciais dos personagens já dizem tudo.É uma cena tão tocante que já nos empolga logo de cara.É uma coisa fantástica,a tecnologia é realmente uma benção.
Os personagens agora sorriem,choram,demonstram,medo,tristeza e sofrimento fazendo o elo com o jogador e personagem aumentar ainda mais
Isso fica ainda melhor graças a direção artística aplicadas em todo o jogo,seja nosdetalhes de cada personagem,suas roupas,acessórios,os cenários,cada byte desse jogo respira arte.E isso faz com que mesmo com a atual geração presente com seus gráficos de tecnologia de ponta,FFX ainda parece agradável aos olhos.E isso é impressionante considerando que este é um jogo de 2001.

Desenvolvimento
Image
O character design Tetsuya Nomura disse que o Pacífico Sul, Tailândia e Japão foram as principais influências sobre o projeto cultural e geografia de Spira especialmente em relação a localização geográfica do sul e as ilhas de Besaid e Killika. Ele também disse que Spira se desvia dos mundos de jogos anteriores de Final Fantasy no nível de detalhe incorporado, algo que ele expressou ter feito um esforço consciente para manter durante o processo de design.Kitase abandonou o estilo europeu medieval de jogos anteriores e resolveu se basear no estilo asiático desta vez.O sub-chefe projetista de personagens Fumi Nakashima tinha como foco garantir que os personagens  de diferentes regiões e culturas levariam características distintivas em seus estilos de vestuário, de modo que pudessem ser rapidamente e facilmente identificadas como membros da seus respectivos sub-grupos. Por exemplo,  as máscaras e óculos de proteção dos Al Bhed deram ao grupo uma “estranha e excêntrica” aparência, enquanto o traje dos Ronso deu-lhes a possibilidade de facilmente se envolver em uma batalha.
O traje de Yuna é um típico Hakama,traje de Okinawa.Inclusive ele é enfeitado com uma flor também chamada Yuna.
O tema de FFX é sobre independência das amarras das leis e dos costumes e possui uma atmosfera mais triste e melancólica do que os demais epsódios pois mostra a população do mundo do jogo Spira sofrendo com mortes causadas por uma criatura conhecida como Sin que devastou o continente causando morte,dor e sofrimento por onde passa.

Spira o mundo do jogo
Image
Os eventos do jogo se passam no mundo de Spira.Como convém o nome Spira é caracterizada por ciclos e repetição tais como a espiral da morte que o dura no mundo , as muitas esferas encontradas em Spira, a piscina- esfera de Blitzball, o oração para Yevon, a grade Esfera , e ciclo de Spira de vida energia emergindo de dentro do núcleo do planeta, concedendo a vida a todos os seus habitantes , e depois retornando para o núcleo quando uma forma de vida morre.
Como uma invenção da Square , Spira é um dos primeiros mundos de Final Fantasy para caracterizar consistentes e abrangentes influências espirituais e mitológicas dentro  de civilizações do planeta e as vidas diárias dos habitantes. O mundo de Spira em si é muito diferente do estilo principalmente europeu de mundos encontrados em jogos anteriores de Final Fantasy, sendo muito mais modelado a partir do sudeste da Ásia , principalmente com relação a sua vegetação, topografia e arquitetura
Spira é um mundo rodeado pelas águas com uma pequena massa de terra ao centro e pequenas ilhas ao seu redor(fruto da devastação de Sin).

A variedade de raças é grande.Temos humanos,Al Bhed uma raça cuja característica são os olhos verdes com um formato em espiral e cabelos loiros, Guados seres que parecem com elfos e vigiam a passagem pro Farplane,Hypellos que se parecem um pouco com sapos ,são amistosos é comum vê-los em Moonflow,Ronso leões humanóides que tem mais de 2 metros de altura e tem a habilidade de copiar as técnicas dos monstros.

Durante  Final Fantasy X, a vida em Spira é simples, como o avanço tecnológico tem vindo a ter uma parada nos mil anos desde o surgimento do Sin e da ascensão da religião Yevonite. Por centenas de anos, a cultura da população girava em torno dos templos de Yevon. Um estrito código de comportamentos sociais aceitos tais como a desconfiança para com a raça Al Bhed e seu uso de “Machina”, um medo perpétuo do Sin, e expiação para pecados passados, eram características comuns de Yevonites devotos.

As tensões entre as várias raças existem, principalmente no que diz respeito ao ostracismo a Al Bhed do resto da Spira devido a crenças religiosas.

Blitzball , um passatempo esportivo em Spira, é uma das poucas maneiras que todas as raças em Spira podem se unir e encontrar fuga temporária das dificuldades do mundo

Umas das coisas mais interessantes de FFX está nas referências espirituais do Japão.No jogo os mortos não necessariamente são levados do mundo.Existe um fenômeno conhecido como Pireflyers(vagalume em português) um fenômeno misterioso em que as pessoas quando morrem se transformam nessas misteriosas bolas de luz e precisam ser enviadas para o Farplane(mundo dos mortos do jogo) normalmente pelo Summoner.,aqueles que podem manipular os Pireflyes através da dança do envio.Se ela não for enviada o espírito da pessoa fica presa no plano físico.Dependendo das circustâncias da morte da pessoa,se estas tiverem inveja ou ressentimentos eles acabam virando criaturas demoníacas(fiends) substancialmente perigosas.Em casos raros se alguma pessoa possui algo pendente no mundo dos humanos e sua vontade for forte, essa pessoa pode permanecer com seu corpo físico e suas memórias se tornando então um Unsent (não enviado) podendo ser maligno ou belígno dependendo da natureza do indivíduo

No mundo de Spira a maior partedo povo são devotos da religião de Yevon.O uso de tecnologia e Machina(as maquinas do jogo) são extremamente proibidos.Quem não segue as regras e costumes da religião é considerado herege e discriminado pela população.

Sobre a História
Image

A história começa com Tidus, um astro de Blitzball,um esporte sub-aquático prestes a jogar uma partida pelo seu time o Zanarkand Abes.De repente uma criatura monstruosa ataca no meio do jogo destruindo tudo ao seu redor.Seu mentor Auron vêm e entrega a Tidus a espada de seu pai e diz que chegou a hora de ele encarar seu destino.A criatura é conhecida como Sin e ataca Tidus que acaba sendo engolido na explosão.Depois disso Tidus acorda num lugar estranho e é salvo de uma criatura pelos Al Bheds.Um deles uma garota chamada Rikku conversa com o rapaz e quando ele conta de onde veio ela pensa que suas memórias estão confusas devido a toxina que Sin libera, pois Zanarkand fora destruída 1000 anos atrás.Em outro ataque de Sin,Tidus é arremessado em alto mar e vai parar na ilha de Besaid onde conhece Wakka,um jogador de Blitzball prestes a fazer sua última partida.Na verdade ele irá se tornar o guardião do próximo Summoner,a única pessoa que pode derrotar Sin em uma jornada pelos templos atrás dos Aeons, fantásticas e poderosas criaturas que somente o Summoner pode controlar.A Summoner é uma bela garota chamada Yuna que vai iniciar sua jornada assim como seu pai o fez 10 anos atrás e deu sua vida para derrotar Sin.
Acontece que Sin é fruto do pecado do ser humano que desenvolveu tecnologia ,algo proibido pela religião e ensinamentos de Yevon  e volta de tempos em tempos pra assolar a humanidade.Somente  a evocação suprema, o Final Aeon pode derrotar Sin e oferecer um curto período de paz (conhecido como “Calm”)até que Sin retorne novamente necessitando de outro Summoner para derrotá-lo
O Summoner precisa dos guardiães para protegê-lo das criaturas ( já que eles são a peça fundamental para  derrotar de Sin)Os Summoners normalmente não são guerreiros e seu único modo de lutar é utilizando as evocações.Tidus se oferece para ser o guardião de Yuna tentando descobrir o que realmente aconteceu já que Zanarkand tinha sido destruída a 1000 anos.Teria ele viajado para o futuro?Ele o faz junto com Lulu uma triste e fria mulher que desconfia de Tidus e possui um passado triste com o irmão de Wakka,Chappu morto por Sin,Kihmari o Ronso guardião de Yuna desde quando ela era criança.Mas tarde Rikku se une a eles.Ela é prima de Yuna que se une ao grupo para evitar que ela continue sua peregrinação pois sabe que existe algo de errado por trás da religião de Yevon do qual a população segue cegamente sem questionar nada.
Conforme Tidus segue a peregrinação de Yuna ele acaba descobrindo que Sin na verdade é seu pai que tinha desaparecido 10 anos antes.

A verdade sobre o triste destino da população de Spira(contêm Spoilers)
Image
O enredo de FFX é fantástico e incrível ,mas muito difícil de se compreender.São tantos termos que ficamos meio perdidos, e é difícil tentar identificar o que é bem ou mal na trama.O enredo não oferece explicações tão detalhadas sobre as motivações de certos personagens cabendo a nós criarmos conjecturas sobre o enredo.Diferente dos epsódios anteriores da série temos um antagonista que não se tornam loucos se tornando uma ameaça potencial(a exceção de Seymor que não é o principal inimigo).Yunalesca e Yevon mesmo causando a mal a população tinham suas próprias motivações(pelo menos eu interpretei desta forma) sendo antagonistas sim mas com um motivo para agir daquela forma.Então vamos conferir os por menores da trama.
1000 anos atrás Bevelle e Zanarkand travaram uma guerra histórica.Bevelle utilizava de poderosas Machina enquanto Zanarkand a magia dos Summoners.Ao conseguir quase  devastar Zanarkand, seus únicos sobreviventes recusavam que a cidade fosse apagada da história.Assim Yevon, líder do lugar deu inicio a um plano para preservá-lo.Todos os sobreviventes dariam suas vidas para se tornar entidades conhecidas como Fayths capazes de manipular através de um sonho a vida e morte tornando real o que não é.Assim eles recriaram a cidade e seus habitantes dentro de um lugar conhecido como Faithy Scar.Todos da cidade são compostos de Pireflyers, compostos de memórias das pessoas reais que viveram lá.Essa cidade ficou conhecida como Dream Zanarkand(o verdadeiro lar de Tidus e Jetch).Para assegurar que ninguém entrasse lá e pudesse dar aos seus habitantes paz e tranqüilidade sem guerras, Yevon criou uma espécie de protetor,um Aeon gigantesco e com uma armadura impenetrável que mais tarde ficaria conhecido como Sin..Só que a energia foi grande demais e Yevon que passou a viver dentro da criatura perdeu toda a sua humanidade e a única coisa que restou  foi o desejo de manter a Zanarkand dos sonhos.
A criatura era literalmente programada para atacar qualquer vestígio de tecnologia e não deixar ninguém entrar em Dream Zanarkand e como resultado não apenas Bevelle, mas Zanarkand fora destruída no processo.Sua filha, Yunalesca conseguiu encontrar um meio de derrotar a criatura:conjurar um Aeon supremo, suficientemente poderoso para quebrar a armadura de Sin, o Final Aeon.para isso o Summonner precisa sacrificar seu guardião mais próximo com a maior ligação sentimental(no caso dela era seu marido Lorde Zaon) e transformá-lo no Aeon.A vida da Summonner seria sacrificada no processo.Só que Yevon acabou possuindo este Aeon Final e o transformando em um novo Sin.O processo levaria anos, mas Sin retornaria logo após esse tempo de calmaria.Aterrorizados quando Sin voltou os cidadãos de Spira viveram o verdadeiro terror pois nada conseguia deter a criatura.Yunalesca que ainda possuía pendências para com seu pai e a população se tornou uma Unsent e resolveu entrar com um acordo com os sobreviventes de Bevelle:um plano para trazer esperança a população de Spira castigada por Sin que é praticamente imortal levando desespero sem fim ao mundo.Assim se criou uma religião e Sin seria visto como o pecado do povo de Spira pelo uso de Machina(o que não é verdade).Surgiram os templos de Yevon e os  seus ensinamentos seriam passados a população.
Os Summonners seriam então a única esperança para derrotar Sin.Eles fariam então uma peregrinação pelos diversos templos em busca de obter os Aeons(monstros que representavam a fé do Summoner cada um tendo seu próprio Fayth o representando) e então chegariam até Zanarkand e assim obtendo de Yunalesca o Aeon Final.Os Summonners não faziam idéia que o Aeon final era parte do processo para criar um novo Sin ,somente quando encontravam Yunalesca.O Summonner derrotaria Sin com o Aeon Final mas este se tornaria um novo Sin reiniciando todo o processo dando a Spira uma paz temporária entre o intervalo da derrota do Sin e a criação do novo Sin.As pessoas de Spira eram iludidas acreditando que Sin era fruto do seus pecados e ele sempre retornaria quando a humanidade deixasse de lado os seus ensinamentos,se desviando do seu ‘caminho” imposto pela religião.Eles tinham plena convicção que era isso que ocorria.A religião de Yevon criou uma seita de fanáticos religiosos que sequer ousavam questionar os seus ensinamentos e quem era contra era severamente punido pelos Yevonites sendo considerados blasfemadores,traidores e pecadores.Nem mesmo aqueles que sabiam a verdade pela Yunalesca ousavam ir contra essa farsa pois Sin era invencível e acreditava-se que não haveria outra escolha.E isso iria durar pelos mil anos seguintes
Sem qualquer esperança os cidadão de Spira viveriam no desespero,segundo Yunalesca.Mas por mais “nobre” que essa atitude poderia ser isso acabou se tornando uma forma de manipular as pessoas ocultando a verdade.Através da fé e dos ensinamentos de Yevon tornaram as pessoas de Spira ignorantes,acreditando numa mentira que nunca traria uma paz verdadeira.Mas os Yevonites não sabiam que Jetch cuja fé inabalável em consertar as coisas junto de Auron e Braska conseguiria se tornar Sin voluntariamente conseguindo com sua força de vontade ter um certo controle sobre a criatura.Ele tinha plena convicção que seu filho Tidus iria mudar as coisas por isso mandou ele e Auron para a Spira real imaginando encontrar um meio de acabar com a espiral da morte.Esse foi o começo da derrocada de Sin.Tidus que alheio aos costumes de Yevon começa a questionar os tais ensinamentos mostrando a Yuna(que tinha fé nos ensinamentos) que algo estava errado.Quando Yuna percebeu que tais ensinamentos eram algo que só trazia sacrifícios em vão,pois Sin sempre retornaria sem haver uma paz definitiva lutou para mudar isso,e junto de seus guardiões não perderam a esperança mesmo assim e conseguiram encontrar uma forma de derrotar Sin.
De fato o enredo é uma critica ao fanatismo religioso que acaba cegando as pessoas,impedindo-as de questionar, de pensar por si mesmos,prendendo-os a uma salvação que só viria se seguissem seus ensinamentos rigorosamente, caso contrário este se tornaria um blasfemador ou pecador(lembram-se da época da Santa Inquisição?) e também até ao modo de vida dos japoneses que sempre vivem em função do coletivo sacrificando até mesmo sua própria individualidade pois isso é uma tradição imposta a eles.

Uma trilha sonora mágica
Image

Desde o primeiro jogo a trilha sonora é executada  explêndidamente pelo mestre Nobuo Uematsu,mas desta vez após 9 edições queriam dar uma renovada procurando experimentar algo novo.Neste caso Uematsu pela primeira vez não trabalhou sozinho ele teve a parceria dos compositores Masashi Hamauzu e Jun’ya Nakano.A idéia de ambos os compositores é algo digno de gênios:oferecer uma trilha sonora que atinja todos os tipos de pessoas independente de sua raça ou cultura e o resultado é mais uma vez uma trilha sonora inigualável.,além de combinar com todos os momentos do jogo,conseguem te tocar profundamente.Obras primas como “To Zanarkand”, a música do inicio do jogo,”People of North Polle” fantástica trilha das montanhas de Gagazeth,além dos temas de Besaid,Lucca, da Faith Scar e uma das minhas favoritas: a Travel Agency.
A música tema “Suteki da NE?”(isto não é maravilhoso?) não foi composta ao acaso.Ela tem o estilo das músicas de Okinawa,para combinar com o estilo do jogo e da personagem Yuna que tem uma aparência tipicamente Japonesa,por isso mesmo não ganhou uma versão em Inglês.É uma música calma,meio melancólica,com aquele jeitão de música tradicional japonesa cantada de forma suave pela cantora Rikki
Curiosamente a equipe resolveu dar uma inovada e resolveu tentar um (pasmem!) Death Metal com “Outworld” que soa ruim aos ouvidos mas inacreditavelmente combina com a parte em que Sin devasta a Zanarkand dos sonhos no inicio do jogo.
Mesmo assim não conseguiu manchar esta trilha que sem dúvida se tornou uma das melhores da série ao lado das trilhas de FFIV,VI e VIII minhas favoritas da série.

Um jogo que consegue conquistar o coração dos jogadores

“a cena do envio das almas de Yunauma de minhas cenas favoritas de FFX”

Nem dá pra descrever a minha grande emoção ao jogar FFX pela primeira vez!fiquei maravilhado com tudo aquilo que era tão  incrível que me fez rir como uma criança quando ganha seu brinquedo tão esperado.As vozes,as cenas,as expressões me fizeram mergulhar tão profundamente que eu até esquecia do tempo passar na locadora em que eu jogava perto de casa.Na época um PS2 era um artigo de luxo,e a única opção era jogar nas locadoras disponíveis(e sim, acumulei 80 horas jogando em uma)
Me senti dentro do jogo devido ao tratamento cinematográfico e o mundo parecia vivo tamanho trabalho artístico impecável empregado nele.Os personagens conquistam logo de cara como Tidus que  assim como Zidane de FFIX tem um jeitão mais alegre,atrapalhado e meio abobalhado além de ser bem otimista, ao contrário de Squall e Cloud dando um aspecto diferente.Já Yuna é meiga,centrada,de fala calma e bastante educada,não tem como não se apaixonar por ela.Os diálogos com Tidus são as melhores partes do jogo(não dá pra esquecer aquela cena em que Tidus a ensina a assobiar fato que ganha importância extrema em FFX-2)
Lulu é a favorita de 10 entre 10 fãs do jogo.Seu estilo “sadomasofashion” com um jeitão bem gótico além de ser séria e com um ar meio melancólico.Seu jeito de ser é fruto da perda de seu amado Chappu,irmão de Wakka,por isso Lulu fechou seu coração para as outras pessoas.Wakka faz aquela parceria típica de Goku e Krilyn com Tidus.Ambos são jogadores de Blitzball e as habilidades do jovem impressionaram Wakka,que se deu bem com ele logo de cara.Wakka é meio bobo,gosta de Blitzball e é apaixonado pela Lulu,mas não consegue se aproximar devido ao que aconteceu a seu irmão e o coração fechado dela.Rikku é bastante ativa e alegre,meio moleca adora tecnologia e fazer misturas,tem medo de relâmpagos,um trauma de infância,ela faz uma dupla engraçada com Tidus.Auron é sério e respeitado tem um grande remorso por não ter podido evitar a morte de Braska e a perda de seu amigo Jetch,mas sua promessa com ele o fez chegar até a Zanarkand dos sonhos onde tomou conta de Tidus até chegar a “hora certa”.Kimahri é um personagem meio apagado mas teve o importante papel de ser o protetor de Yuna desde criança,por isso ele parece não gostar muito de Tidus no inicio pois parece desconfiar dele(as tentativas de aproximação de Tidus tentando fazer amizade com ele e sendo desprezado são hilárias)
Momentos em que você vai rir das trapalhadas do Tidus,vai se encantar com os diálogos entre Yuna e ele,se tocar com o passado triste da Lulu,além de ir as lágrimas com a destruição de Kilika são constantes no jogo.E a cena do envio das almas dos mortos de Kilika ao Farplane é uma das mas lindas do jogo.e a cena mágica do beijo entre Yuna e Tidus?(aaaahhhh já dá aquela nostalgia só de lembrar!).poucos jogos conseguem nos trazer esses sentimentos e a série Final Fantasy é a mestre nesse departamento.
O fato de não haver um vilão marcante como Sephiroth de FFVII não atrapalha de forma nenhuma a história do jogo que não perde em emoção ou desenvolvimento para os outros games da série.
Quanto ao jogo em si também é de primeira,há muito o que se fazer no jogo,há inclusive diversas sidequests depois de conseguir a nave Al Bhed.O sistema de batalhas é o melhor da série junto com FFXII e XIII,pois ele tem um planejamento mais tático e estratégico graças a colaboração de Toshiro Tsuchida, diretor do RPG estratégico Front Mission.Aqui cada personagem tem um turno e a vez de atacar é determinada por cada habilidade do jogo,pois dependendo do ataque o turno do personagem pode vir antes ou depois tudo registrado na barra de turnos a direita da tela vinda direto dos RPGs estratégicos(e que se tornou referência em vários games depois dele como Xenosaga e Shadow Hearts).Aqui cada personagem(que por padrão tem uma espécie de job típico de outras versões antigas como FFIV) desempenha um papel nos combates.Tidus é um típico guerreiro, luta com espada desferindo ataques físicos em monstros comuns,Lulu usa Black Magic para atacar inimigos fracos contra magias, porém resistentes a ataques físicos,além é claro de contar com as fraquezas e forças dos elementais.Auron é forte contra inimigos com forte defesa pois outros personagens com ataques físicos não conseguem muito dano contra esse tipo de criatura,Wakka é bom contra inimigos voadores cujo alcance dar armas comuns é pequeno podendo ocorrer um “miss” se tentar,Yuna serve como cura e suporte com suas White Magics e boa contra inimigos grandes com alto HP com seus Aeons.Rikku pode roubar itens e desmontar máquinas além de misturar itens com o Overdrive Mix provocando resultados interessantes beneficiando o seu grupo ou causando grandes danos e Kimari que não tem um job definido pode roubar as técnica dos inimigos com sua Blue Magic.Ele é o único personagem que no inicio pode ser moldado da forma que quiser no inicio do jogo,pois não possui um caminho definido.
O novo Sphere Grid System que substitui o sistema de níveis é uma experiência nova e interessante.Nele temos um tabuleiro e cada personagem possui um caminho específico melhorando suas habilidades individuais.Você ganha Sphere leveis e esferas que aumentam atributos e dão novas Skills e Magics pra cada personagem.Em determinados momentos você ganha esferas que permitem destravar caminhos bloqueados e se transportar com facilidade pelo tabuleiro.Aí você escolhe;ou usa um caminho de um personagem semelhante para melhorar ainda mais as habilidades individuais ou escolhe um caminho diferente mesclando as habilidades de certos personagens com outros(mas isso diminui a individualidade de cada um)
Os Aeons podem ser controlados pela primeira vez usando habilidades,técnicas,e o Overdrive(aquelas técnicas de animações imensas e impressionantes) de cada um mediante uma barra.Você pode aumentar os atributos deles usando itens específicos.O mesmo método é usado para armas e escudos:compre armas com slots vazios e dê a elas habilidades,como ataques elementais ou proteção contra status negativos(esse método fica disponível após Rikku entrar no grupo)

Conclusão

Eu sempre digo e repito:existem jogos especiais que mexem com suas emoções e sentimentos,tal qual um mangá,anime,livro ou filme.FF X é mais uma prova que existe algo além de batalhas,evolução e conquista de níveis,existe uma história profunda,reflexiva personagens cativantes e um mundo fantástico.FFX é uma obra-prima gamística memorável .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s